O cantor Bono Vox, da banda Irlandesa U2, talvez seja um dos rostos mais facilmente reconhecidos no mundo . Além de ser o líder de uma das bandas de rock mais bem sucedidas da historia, Bono conquistou grande credibilidade também fora dos palcos por sua atuação marcante em eventos de cunho social e pela sua luta a favor dos direitos humanos. Tanto que Bono já recebeu vários prêmios humanitários e chegou a ser indicado para o prêmio Nobel da paz.

Mas, dia desses Bono acabou falando bobagem ao se meter em um assunto ainda pra lá de polêmico e complicado. Durante uma entrevista em sua recente passagem pela África do Sul, Bono fez uma referencia a uma canção sul-africana dos tempos do apartheid, regime segregacionista que perdurou por décadas naquele país. A letra da canção, originalmente no idioma zulu, repete o tempo todo “shoot , shoot the Boer” fazendo alusão à minoria branca, representada pelos “Boers” termo usado para designar fazendeiros brancos. Segundo Bono, a canção “Shoot the Boers” teve seu papel durante a luta contra o apartheid e por isso deve ser respeitada. O público sul-africano reagiu muito negativamente às declarações de Bono e alguns até mesmo propuseram um boicote ao show do U2 , rasgando seus ingressos em praça publica.

Não sei o que passou pela cabeça de Bono ao endossar uma canção que incita a violência e o ódio racial. Bono, que cresceu no meio da terrível guerra civil na Irlanda e que conhece bem os efeitos do ódio e da intolerância religiosa, deveria ter pensado duas vezes. Isso, aliás, é algo que muitas outras celebridades do mesmo calibre de Bono Vox acabam fazendo mais cedo ou mais tarde ; alguns perdem o senso de auto-critica e começam a achar que podem sair por aí falando qualquer bobagem sem filtro algum. A idolatria dos fãs, que muitas vezes engolem qualquer coisa que sai a boca de seus ídolos, é que alimenta esse tipo de coisa.

Assisti semana passada, a uma entrevista de Lady Gaga no prestigiado programa Americano “60 Minutes” e fiquei estupefato em como alguém pode falar tanta besteira em tão pouco tempo. Aliás, no caso dela não é só falar, mas fazer também. Lady Gaga, que é até uma cantora com algumas qualidades, tem um comportamento tão esdrúxulo que chegou a ir a uma premiação vestida apenas com pedaços de carne crua e apareceu recentemente na festa do Grammy dentro de um ovo gigante (!). E os fãs adorando e achando tudo lindo.

Mesmo artistas evangélicos têm que tomar cuidado também para não se embebedar com os prazeres da fama. Sei de muitos exemplos de artistas evangélicos que viveram por muito tempo uma vida dupla, achando que fora do palco podiam fazer o que quisessem sem ter que enfrentar consequências ou prestar conta de seus atos. E mais uma vez, os culpados são os fãs que engolem tudo e alimentam essa sensação de onipotência.

Claro que o recente episódio de Bono Vox não elimina todas a suas boas ações sociais e seus esforços junto à causas nobres. Mas, certamente nos faz ver que Bono não é nada mais, nada menos do que uma pessoa normal com erros e acertos como qualquer um de nós. A diferença é que ele tem uma plataforma muito maior e qualquer coisa que ele fale ou faça vai terminar nos noticiários do mundo inteiro. E ele deveria ter pensado nisso quando abriu a boca na África do Sul .

Um abraço,

Leon Neto


COMPARTILHAR
Comentários
Artigo anteriorCarta aos cristãos de hoje
Próximo artigoA lei do retorno