Em Gênesis 37:3 lemos: “Israel amava a José mais do que a todos os seus outros filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores. Vendo seus irmãos que seu pai o amava mais do que a todos os outros seus irmãos, odiaram-no e já não podiam falar com ele pacificamente”.

No verso 23 lemos: “Chegando José a seus irmãos, estes o despiram da sua túnica, a túnica de várias cores, que ele estava usando”. No verso 31 lemos: “Então tomaram a túnica de José, mataram um cabrito, e a molharam no sangue”.

Que sorte é esta? Existe sorte? Muitos falam a palavra “sorte” na esperança de receber mais sorte. Por outro lado há gente que tudo que faz sai mal. Se uma árvore cai, cai justamente em cima de sua cabeça; se vão despedir alguém do trabalho, justamente é ele.

Sorte é: a habilidade de estar no lugar certo, na hora certa. Define-se como um fator imprevisto, um golpe de sorte, mera casualidade.

E o ser humano inventou, para este assunto, amuletos como: a pata de coelho, a ferradura, a arruda, o trevo de 4 folhas e muitos outros. Com base nisto, muitos se consideram com má sorte.

A sorte é a leitura humana da bênção de Deus. Quando a pessoa diz “boa sorte”, está na verdade dizendo: “Que Deus te abençoe” porque não sabem que é Deus o autor da bênção; a “boa sorte” é uma bênção que te alcança. A Biblia diz que Deus colocou no mundo a Sua bênção. Quando Deus criou o mundo e pôs Adão e Eva no jardim, Deus os abençoou e tudo o que foi criado. Mas, quando Adão e Eva desobedeceram, comendo da árvore do bem e do mal, aprenderam a amaldiçoar e junto à bênção se somou a maldição, mas a maldição não anulou a bênção.

Eclesiastes diz: “Tempos e oportunidades acontecem a todos”, que o sol sai para todos; quer dizer que Deus encheu o mundo de bênção e que não é só para seus filhos senão para todos. Por isso a gente descobre que ao dizer “sorte”, na realidade não é sorte senão a bênção de Deus.

Os que não conhecem a Deus dizem: “Foi um golpe de sorte”, “o destino, “a vida”, “os astros me ajudaram”. Mas quando conhecemos a Deus descobrimos que todos esses “golpes de sortes” são bênçãos de Deus que se revelou e você capturou. Há pessoas- especialmente os legalistas- que acham que Deus abençoa somente os que se comportam bem, que estão em santidade, mas Deus abençoa a todos, o sol sai para todos.

É interessante ver a quantidade de versículos que falam sobre sorte na Biblia. Por exemplo, quando tomaram a túnica de Jesus, jogaram sorte para ver quem ficaria com ela. Em Provérbios 16:33 diz “A sorte joga-se no regazo, mais de Jeová é a decisão certa”. O que Salomão quiz dizer com isto? Na antiqüidade, anotavam-se os nomes das pessoas em uns pedaços de maderinhas e jogava-se no regazo, e então um retirava um nome e dizia o nome de quem tinha ganhado.

Por isso Salomão diz que a sorte se joga no regazo (as maderinhas com os nomes), mas o nome que eu retiro, vai ser o de Deus. Depois de Judas ter se enforcado, os discípulos tiveramn que escolher um sucessor e jogaram sorte, então puseram as maderinhas com os nomes e saiu Matias. Após o avivamento de Pentecostes, nunca mais se falou de “sorte”, se começou a falar de bênção. Quando vem a unção do Espírito, Deus traz revelação, você deixa de pensar que é a sorte e entendes que a bênção de Deus se derramou por todos lados. Depois de eleger Matías, nunca mais jogaram sortes de nada, porque seriam guiados pelo Espírito Santo que levaría-os a possuir a bênção. O mundo inteiro está abençoado, mas também está amaldiçoado por culpa do homem e do inimigo. Por que há pessoas que vê as bênçãos e outras só recebem as maldições?

O Espírito Santo tem nos ensinado que “Sorte é o que o homem sem Deus interpreta, mas nós que estamos em Cristo, quando vemos algo bom não o chamamos de sorte senão bênção de Deus”. Quando li sobre esse assunto pensei na seguinte questão: “Por que há pessoas -cristãs e não cristãs- que podem ver as bênçãos e as possuir e outras que possuem as maldições? Por que há pessoas que tudo o que faz lhe sai bem e outra tudo o que faz sai mal?”.

Concluo, após estudar a Palavra de Deus com minha esposa, com cinco princípios para ter a “boa sorte”, ou seja, a “bênção de Deus”:

1-Em minhas relações com as pessoas está a minha bênção.

Quanto mais relações com pessoas eu tiver, mais possibilidades de ser abençoado; quanto mais pequeno é teu mundo, menos possibilidades de bênção. Jesus se relacionava com todo mundo. Se você vai da tua casa ao trabalho, do trabalho a tua casa e teu círculo de amizade são quatro ou cinco pessoas e sempre os mesmos, chegará um momento em que você vai reduzir a capacidade de bênção, porque Deus pôs a bênção nas pessoas. Quanto mais pessoas conheceres, mais possibilidades de descobrir as pessoas que Deus carregou com uma bênção para você. “Dai, e dar-se-vos-á. Boa medida, recalcada, sacudida e transbordante, generosamente vos darão. Pois com a mesma medida com que medirdes vos medirão também”.

Jesus diz “dai e dar-se-vos-á, isto quer dizer que tem gente para te dar algo. Por isso, devemos cuidar de nossas relações interpessoais como algo mais valioso, isto é, cuidado como tratar e falar com as pessoas. Há aqueles que dizem: “Eu não levo desaforo para a casa”. Por isso tem má sorte, porque os que Deus encarregou com bênção para você, os trataste mal. Cuida de tuas relações de bênção mais que todas as coisas. Há pessoas que fazem as coisas bem mas brigam com todos. É mais importante tua relação do que o que você faz. Há pessoas que tem um carisma para atrair outros, porque não impoem nada, fazem com carinho e amor. Não imponha nada a ninguem, senão as pessoas vão se afastar de você por causa da sua conduta.

Há pessoas que nunca receberam nada porque nunca se abriram para receber algo de Deus. Quando Deus põe algo em você é para você também dar para outro a unção que Deus tem te dado. Não se pode dar o que não se recebe.

Jesus disse: “A todos atrairei a mim mesmo”. Moisés ia caminhando e tinha uma sarça, um pedaço de ramo, ardendo de fogo e que não se consumia. A sarça era uma planta comum, sem vida, sem valor; mas caiu o fogo de Deus e a ela atraiu Moisés. Nós somos esta sarça, hoje. Estavámos sem nada, mas Deus soprou seu fogo e agora as pessoas vem nos procurar; antes erámos algo comum, e agora somos algo extraordinário; antes não tinhámos vida, e agora temos a vida de Deus dentro de nós, que não se pode apagar. Por isso temos que estar aberto para que outra pessoa mandada por Deus possa nos abençoar.

Veja o exemplo de Jesus que tocava as pessoas e depois de sentir que estavam com o coração aberto, lhes dava esperança, fé e unção. Aprende a deixar-te dar, e depois chegue ao coração delas, tratando-os bem. Porque não sabes onde se esconde tua bênção, hoje uma pessoa simples, amanhã pode ser teu chefe. Aprende a honrar a todos, trata bem e aprende a dar tudo o que Deus te dá.

Quando o criou, mas sim quando o formou. E formou-o quando o soprou. Ensino: Até que não tenha dado algo, nunca estarás formado, porque o Dar é do Espírito e receber é do coração. Nunca poderás governar sobre teu Eden, se não sabes dar. Sou nova criatura, “se alguém está em Cristo nova criatura é”; foste criado mas agora téns que ser formado. Abre teu coração quando for ler a Palavra, quando for à igreja, pois Deus deseja soprar sobre a sua vida mais unção, para que voce possa dar alegremente, porque quando der o melhor, receberás medida recalcada, sacudida e transbordante.

2-Há grandes oportunidades ao meu redor.

Aprende a esperar o melhor, porque o que esperas virá. Jó disse: “O que temi me veio” Que você está esperando? “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra”. Esta é a promessa que sempre há algo de Deus ao nosso redor. Doença, morte não é uma bênção, mas ao lado dessa crise, ao redor, Deus semeou bênção. Olhe ao redor e veja que Deus está presente. As expectativas repercutem no comportamento. O que você espera condicionará tua conduta, se esperás o pior ou o melhor.

“Eu espero a bênção de Deus, ir de glória em glória, que Deus mudará todos meus facrassos em vitórias, hoje estou me sentindo mal, mas sei que ao redor de mim há bênçãos, que irei vê-las, tomá-las e compartilhá-las”. As crises nos ensinam algo novo de Deus que nunca tinhámos visto. E vamos ver algo nosso que nunca tinhámos visto. Pedro não sabia que podia caminhar sobre as águas até que veio a crise, quando veio a crise, ele aprendeu. O barco navega sobre a água, mas se a água entra no barco, este afunda. Ensino:a crise pode nos levar a um lugar de bênção, o importante é que a crise não entre em nós. Não temos que deixar que a crise entre, porque dentro de nós o único que tem que entrar é a unção do Espírito Santo “O melhor de Deus está por vir”.

3- Falar e ver o positivo (como Deus ver e fala).

Falar a Palavra, falar bem de si mesmo, usando palavras sadias em nossa boca: maravilhoso, excelente, prosperidade, abundância. Tudo posso em Cristo, pelas feridas de Jesus estou curado, vou de glória em glória porque aquele que morreu na cruz não foi um livro de teología, não foi um pastor, nem um guru, nem uma igreja, nem meu pai, foi aquele que me ama, o Rei da glória, e ando com Ele e tudo o que eu faço me sairá bem.

Falo fé, e Deus fala comigo, porque Deus fala fé. Não precisas correr atrás de reconhecimento humano, poque valeste o sangue de Cristo. Dizem os historiadores que Paulo poderia ser de baixa estatura, tinha a voz rouca e com dificuldade para ler, por isso em Gálatas diz: “Escrevo-lhes com letras grandes”, mas o “baxinho” dizia aos doentes “levanta-te” e dizia: “Não sou menos que o maior dos apóstolos”. Somos igual ao melhor, não somos menos, somos igual. Falemos de bênção de nós mesmo e para nós. O que enviamos é o que regressa.

Veja o que diz Eclesiáste 10:20 “Nem ainda no teu pensamento amaldiçoes ao rei, nem no mais interior da tua recâmara amaldiçoes ao rico, porque as aves dos céus levariam a tua voz, e o que tem asas daria notícias das tuas palavras”. Por isso, falem só de bênção e escutaremos de bênção para nossa vida; falemos em positivo, deixemos de nos queixar, porque Deus está com conosco. O negativo não tem controle sobre nossas vidas, sempre estará o positivo em nossos corações, porque Deus disse: “Abençoar-te-ei”. É verdade, acontecem muitas coisas comigo, mas falo de bênçãos, em positivo e tudo o que faço me sairá bem.

4-O difícil primeiro, o fácil depois.

Deus vai te pedir o difícil porque o que semeia difícil, colhe com gozo (fácil). Deus conhece nossa estrutura humana e sabe que temos que nos desarraigar de algumas coisas, para que a unção do Espírito Santo flua em nossas vidas, portanto Ele pedirá que abremos mão daquilo que julgamos ser essencial, mas na verdade não é.

As vezes é díficil crer e por isto Deus nos pede para darmos o primeiro passo sobre as águas.

5- O favor já está dentro de cada um de nós, na pessoa do Espírito Santo de Deus

Israel(Jacó) pôs em José a túnica de várias cores e longa.

A túnica representava “a sorte” e os irmãos ficaram muita raiva. Representava o favor de Deus, a bênção, a sorte -humanamente falando-, cobria as mãos e os pés e dava-lhe autoridade sobre seus irmãos. Representava o que sempre esteve dentro de José, a bênção. Por isso quando os irmãos cobriram a túnica com sangue e jogaram José no poço, ele não se deprimiu, e quando o jogaram no cárcere, nem tão pouco pensou em se matar.

Quero dizer com isto, que:

A – A túnica, a bênção, já está dentro você.

Podem te arrancar as finanças, família, trabalho, mas a bênção continuará dentro de você e ninguém poderá tirá-la. José jogaram-o no poço, saiu do poço; meteram-o no cárcere, saiu do cárcere; o puseram de servente, saiu de servente; porque a túnica faz sair dos lugares mais difíceis, porque a túnica que está dentro de nós é o Senhor Jesus.

B – Representa o potencial que Deus nos deu.

Posso contar quantas sementes há numa maçã, mas nunca saberei quantas maçãs há em uma única semente, porque isso só Deus o sabe. Posso contar quanto dinheiro tenho, mas só Deus sabe quanto dinheiro tenho espiritualmente. Posso contar quanta gente há na reunião na igreja, mas só Deus sabe quanta gente há para vir ainda à igreja.

Tenho inimigos por causa da minha túnica, o Pai me deu a bênção por isso me criticam. “Por que não gostam de mim no trabalho? se não me conhecem”. É porque com os olhos espirituais viram que Papai te deu a túnica. Os que venderam José foram seus “meios irmãos”. Um irmão para valer nunca te vai vender, nem invejar. Teu irmão verdadeiro vai se alegrar com tua túnica de bênção. Israel -que era Jacó-, amou mais a José e lhe deu a túnica -autoridade, bênção-.

Jacó, quer dizer trapasseiro, teve filhos; quando se encontrou com Deus, este muda o seu nome para Israel, e aí ele tem outro filho, José. José não conhecia Jacó -o trapasseiro-, nasceu quando seu pai se chamava Israel. Os irmãos conheceram Jacó -o trapasseiro- e Israel, mas não sabiam a que exemplo deveriam seguir. Muitos cristãos estão como os meios irmãos de José, não sabem se são originários de Jacó –legalista- ou se de Israel – a graça de Jesus-.

Então quando Deus prospera, pensam como filhos de Jacó: “Eu não mereço” e há cristãos que tem dois pais: o Deus que castiga e o Deus que abençoa; estão em liberdade mas são legalistas.

Mas se você tem uma identidade clara, dirás: “Eu não conheço Jacó”. Quando passares a viver com filho de Israel e não de Jacó, então Deus vai poder te dar toda a bênção. Deus não é o que nos disseram, Deus é o Grande Eu Sou, é o Pai amoroso, é o Senhor do Universo, o que cura, prospera, liberta, abençoa, levanta, perdoa, restaura, unge e o que te diz: “Tudo o que você fizer prosperará, porque te dei a túnica, quero que cresças sob um conceito sadio de minha pessoa”.

Quando souberes quem é o que te abençoa, a bênção te atingirá.

Deus é tão bom.

Unges a minha cabeça com óleo e meu cálice se transborda. Certamente que a bondade e a misericórdia do Senhor me seguiram todos os dias da minha vida e habitarei na casa do Senhor por longos dias. Sl 23

Ev. Manoel Valentim