Há alguns dias, recebi de meu querido amigo Angelo Manassés, uma sugestão de pauta, sobre um filme que estaria em fase de produção nos Estados Unidos.

Segundo informações que ele tinha recebido, o filme seria uma releitura apócrifa dos evangelhos, tendo Jesus personificado como homossexual, e inclusive mantendo relações íntimas com os apóstolos.

Claro que fiquei chocado com a noticia e prometi investigar o assunto. Pouco depois recebi um daqueles e-mails anônimos, convocando a todos para um boicote ao tal filme e a participar de uma lista, tipo abaixo-assinado. Pensei logo: “onde há fumaça, há fogo”, e saí à cata de maiores detalhes sobre a maléfica produção.

Logo de cara estranhei o fato de não ter recebido nenhuma informação sobre o filme, antes do e-mail do Angelo. Não que eu me considere assim tão bem informado. Mas, a Liberty University, onde trabalho, está na linha de frente da defesa do cristianismo na América do Norte. Algo como a citada produção, jamais passaria despercebido por aqui. A universidade, inclusive, tem um departamento jurídico extremamente atuante, que está sempre à postos para defender nossos princípios e crenças, diante das mais bizarras situações que se possa imaginar. Portanto, achei um pouco estranho a Liberty não estar encabeçando o tal boicote.

Nos sites e jornais especializados em cinema onde geralmente busco informações e dados para fazer meus comentários, não achei absolutamente nada. Na verdade, existe um documentário intitulado “Corpus Christi” (1997), mas que não tem nada a ver com o filme em questão. Trata-se de uma obra séria sobre o Cristianismo e não chega a ser ofensivo diretamente à nossa fe.

Continuei escavacando então em outras fontes, e descobri, meio que por acaso, que o abaixo-assinado que citei, já esta rolando na internet por mais de dez anos. E antes disso, desde 1984, já era enviado a milhares e milhares de casas, via correio. Se você foi uma das pessoas que recebeu o e-mail convocando para um boicote ao filme “Corpus Christi”, sinto informá-lo que você foi vítima de um embuste. O filme nunca existiu e a lista de nomes na qual você por acaso incluiu o seu, não vai ter serventia nenhuma.

O que consegui apurar, foi que em 1998 aproximadamente, surgiu uma peça teatral intitulado “Corpus Christis”, que retratava, de fato, Jesus como homossexual. A peça não fez assim tanto sucesso, por razões óbvias, mas está inclusive no currículo do ator Chad Allen, protagonista do filme com temática missionária “End of the Spear” (2006). O boato, portanto, é pelo menos 14 anos mais velho do a peça, que supostamente lhe deu origem! Nem a peça que citamos e nenhum outro filme com temática semelhante a que descrevemos no início da coluna, está sendo produzido nos Estados Unidos.

Não que eu ache impossível alguém se atrever a filmar uma idéia tão esdrúxula e absurda; muito pelo contrário. De incrédulos e ateus, esse mundo está cheio. Mas, se isso um dia vier a acontecer, sei que as instituições cristãs americanas, serão as primeiras a reagir e tomar as medidas cabíveis. Ninguém sabe ao certo como o malfadado abaixo-assinado foi concebido e por quê; mas, que ele é falso, isso agora sabemos.

A Bíblia nos conclama e estarmos sempre “vigiando e orando”, mas cuidado com os e-mails que recebe. Sempre cheque bem as origens e as informações antes de sair por ai com “tochas” na mão, arrebanhando a todos para a próxima temporada de “caça às bruxas”.

É muito importante defender nossos princípios cristãos e confrontar a sociedade, cada vez mais secularizada e profana. Mas, lembre-se que para ganhar os perdidos é necessário amor e não ódio; o mesmo amor que Jesus demonstrou, mesmo quando confrontou pessoas como Nicodemos, Zaqueu e a mulher samaritana.

Um abraço,

Leon Neto