Esse Bispo Edir Macedo não tem jeito mesmo. Vira e mexe ele sempre encontra um jeito de criar polêmica e falar bobagens. A vitima dessa vez, ou melhor, as vitimas, são os cantores evangélicos, e pra ser mais exato em torno de 99 % deles, que segundo o bispo estão endemoniados.

Como sempre, os argumentos de Macedo tem a profundidade de um pires e não são respaldados pela Bíblia de forma alguma. Mas, de toda forma, o que parece que motivou a “brilhante” afirmação em um programa de rádio, foi um vídeo onde Ana Paula Valadão, do ministério Diante do Trono, recebe uma unção especial e cai de costas em um determinado culto evangélico. Segundo Macedo, o Espírito Santo não derruba ninguém, mas sim levanta. Logo, Ana Paula estava endemoniada e não cheia do Espírito. Não satisfeito, o bispo em português “perfeito” como lhe é peculiar, disse : “99% desse pessoal que canta por aí são endemoniados, é tudo perturbado (sic)”.

Macedo afirmou que da mesma forma que o diabo levanta cantores de sucesso no meio secular, também o faz no meio evangélico para confundir os cristãos. Disse também que quase todos os que fazem sucesso estão “na carne” e na base da emoção. Macedo sugeriu que os admiradores desses cantores e cantoras deveriam olhar para a vida deles e não se deixar embriagar pela emoção de suas musicas.

O bispo Macedo já falou tanta asneira ao longo de sua vida, que pouca gente ainda o leva a serio, mas dessa vez ele passou dos limites ao chamar Ana Paula Valadão de endemoniada. Surpreendentemente, quem saiu em defesa da cantora, foi seu recente desafeto, o Pr. Silas Malafaia. Em seu programa de televisão, Malafaia não só defendeu Ana Paula das acusações levianas de Macedo, mas também partiu para a ofensiva acusando o bispo de ser hipócrita e de ter interesses econômicos na tal denúncia, já que a Line Records, ligada à IURD, está bem mal das pernas, segundo Malafaia.

De fato existe um excesso de mercantilismo na indústria de música evangélica no Brasil e no mundo. Nisso até que o bispo tem razão. Muitos dos cantores e bandas estão mais preocupados com lucros do que com o evangelho, e de fato alguns não tem uma vida condizente com o que cantam e pregam em seus shows; mas daí a dizer que eles são endemoniados, é uma grande distância. Esse negócio de atribuir tudo aos demônios é bem característico da linha teológica da IURD, que explora esse principio em todos os seus cultos. Portanto nem é assim tão surpreendente que Macedo tenha evocado o tema em relação aos cantores evangélicos. Mas, acusar de forma generalizada a quase todos, só poderia mesmo ser fruto da mente de Edir Macedo. E convenhamos, é muita cara-de-pau alguém que tem contra si diversas denúncias e escândalos, alguns registrados em vídeo, abrir a boca para falar sobre a vida de quem quer que seja e criticar o uso da emoção para manipular multidões, coisa que ele vem fazendo há décadas.

A resposta de Malafaia, apesar de histriônica como sempre, foi bem interessante e bateu pesado no bispo Macedo. Certamente o bispo não deve ter pensado muito antes de falar mais essa bobagem, já que puxou briga com gente graúda e com muito mais conhecimento teológico do que ele, como é o caso de Malafaia. Aliás, eu realmente gostaria muito de ver um debate entre os dois; sei que isso provavelmente nunca vai acontecer, mas seria ótimo ver os dois debatendo abertamente, frente a frente, ao invés de ficarem mandando recados indiretos em programas de rádio e de televisão. Acho até que o Pr. Malafaia aceitaria um debate desses na hora, já o bispo…

Eu só fiquei curioso com uma coisa; se 99% dos cantores evangélicos são endemoniados, quem é que se salva? Bem, na entrevista, ele citou apenas um, o Paulo Cezar, do grupo Logos (ótima escolha por sinal). E os outros? Talvez estejam na folha de pagamento da sua gravadora…

Um abraço,

Leon Neto