Andy Warhol no final dos anos 60 profetizou que no futuro todos seriam famosos por pelo menos 15 minutos. A previsão tornou-se realidade muito antes do que ele pensou, e hoje em dia, graças à internet e a sites como youtube, nem mesmo 15 minutos são necessários para tornar alguém famoso.

Recentemente um clipe de pouco menos de 2 minutos elevou ao status de celebridade três ilustres desconhecidos. Trata-se do vídeo [url=http://www.youtube.com/watch?v=_9Xmd8MT330]“Para nossa alegria”[/url], postado pela auxiliar de limpeza Marinalva Barbosa e seus filhos, o sorridente Jefferson e a histriônica Suellen.

O vídeo começa com uma interminável introdução ao violão, iluminada pelo brilho estelar do sorriso generoso e gigantesco de Jefferson, e segue com Suellen esticando suas cordas vocais quase ao limite máximo numa interpretação bem caseira e relaxada, sentados ao sofá, da bela música “Galhos Secos”, composição Cristã da banda Êxodos, muito cantada nas igrejas evangélicas nos anos 70 e depois regravada por grupos como Som Maior e Catedral. Descrevendo assim, fica bem difícil imaginar exatamente o que gerou esse enorme sucesso repentino. Não sei se a bocarra escancarada do simpático Jefferson ou a voz de nômade marroquina de Suellen. Minha parte preferida é o momento em que Jefferson resolve antecipar o agudo caprino de sua irmã e surpreende a todos berrando “para nooooosa alegria….” É difícil não rir…

Mas de fato, os três já estão conseguindo prolongar muito os seus minutos de fama; o vídeo já recebeu mais de 15 milhões de acessos, levando o trio à aparições em programas de auditório, entrevistas para canais de televisão e até já mesmo alguns contratos publicitários; parece que até mesmo a gigante do mercado de refrigerantes, a Pepsi, está cogitando lançar uma campanha com a família Barbosa. Eu encontrei até mesmo uma discussão em um site americano sobre o tal vídeo. As pessoas estavam querendo saber o que eles cantam e por quê tem feito tanto sucesso. A maioria disse que a tradução não faz a menor diferença e que mesmo sem entender bulhufas da letra, continuam achando o vídeo engraçadíssimo.

Claro que já apareceram, os paladinos da justiça do meio evangélico, criticando todo esse desenrolar, dizendo que o evangelho está sendo achincalhado e coisas do gênero. Pura bobagem; o vídeo não é nada mais do que um singelo momento de descontração familiar que tomou proporções titânicas por conta de, sabe se lá o quê. O trio Barbosa não tem a menor culpa se os desocupados que navegam a internet dia e noite, resolveram achar o sorriso Jeffersoniano a coisa mais engraçada do mundo. Não vi desrespeito nenhum por parte deles.

É impressionante como a internet se transformou no veículo mais importante dessa geração; nada supera o poder de alcance do mundo virtual. Qualquer um pode postar qualquer coisa e em questão de segundos virar celebridade. A liberdade e democracia do veículo são interessantes, mas assustam ao mesmo tempo. Será que estamos fomentando uma geração de inúteis e desocupados? Só o tempo dirá.

Resta saber o que o trio Barbosa vai fazer com a enorme fama repentina e quanto tempo ainda vamos aguentar essa história. Não me surpreenderia se derrepente eles gravassem um CD , ganhassem um programa de auditório e fossem chamados para uma novela da Globo. Parece que o padrão de qualidade no Brasil não é mesmo dos melhores, não é? Afinal, o Brasil está cheio de Lucianas Gimenez, Adrianas Galisteu e Michéis Telós…

Só acho uma pena que as pessoas nem mesmo prestem atenção em uma musica tão bonita e singela, e com letra tão profunda. Mas dessa história toda, torço para que , como diz a canção, até mesmo nos galhos secos da internet, Deus possa fazer brotar algo de bom. Tomara.

Um abraço,

Leon Neto