O fenômeno religioso brasileiro, em todas as suas manifestações de fé, seja o católico romano, o evangélico, o judaico, o mulçumano, o espírita, o oriental, as religiões de matriz africana, entre outros, tem despertado a atenção de diversos pesquisadores, inclusive no meio acadêmico, resultando inclusive em trabalhos universitários direcionados, de forma especifica, para um ou outro Grupo Religioso, geralmente com a motivação de expor sua atuação proselitista, formas de conquistar novos fieis, expressão de espiritualidade, levantamento de recursos etc, num enfoque na maioria das vezes sensacionalista.

Percebe-se a carência do olhar da universidade de forma cientifica, ou seja, numa busca de entender e explicar a sociedade os porquês do movimento religioso, na medida em que dados apontam que dos 190 milhões de brasileiros, neste século XXI, católicos praticantes somam cerca de 80 milhões, enquanto os evangélicos já são aproximadamente 40 milhões, os espíritas têm no Brasil uma das maiores representatividades de adeptos no mundo, a comunidade mulçumana é uma das que mais cresce em determinadas regiões, juntamente com grupos orientais, e ainda, o destaque atual de grupos religiosos de matriz africana, e, sobretudo o acentuado crescimento de grupos de ateus e agnósticos.

Numa proposição construtiva a Universidade de Guarulhos/SP, situada na cidade que lhe concede o nome, que é uma das regiões mais prosperas da Grande São Paulo, estando, inclusive entre os dez maiores PIB do Brasil, sendo um dos centros privados de excelência de estudos universitários de nosso País, eis que, possui cursos de bacharelado, mestrado e doutorado, atuando de forma inclusiva junto a sociedade local, lançou o Programa de Estudos Religiosos e Evangélicos, que pretende abrir espaço junto a comunidade acadêmica para a pesquisa e investigação cientifica do fenômeno religioso nacional.

O Portal da Universidade de Guarulhos/SP, recentemente noticiou: “Iniciativa visa estruturar núcleo para a realização de encontros periódicos entre religiosos. […]. Visando criar um espaço onde pessoas de diversas religiões possam se integrar e participar de atividades, a Universidade Guarulhos (UnG) anunciou a abertura de inscrições para o Programa de Estudos Religiosos e Evangélicos.

A iniciativa é mais um fruto da parceria da Instituição com o Instituto Keynes, do Paraná. De acordo com a Vice-Reitoria de Extensão, Cultura e Apoio Comunitário a ideia é estruturar, a partir de 2010, um núcleo para se tornar referência em estudos religiosos e evangélicos. “Nossa meta é trazer pesquisadores e estudiosos para orientar ações nas áreas de ciências jurídicas, gerenciais, filosóficas e religiosas, sejam elas seminários, palestras, cursos livres de qualificação, entre outras”, apontou vice-reitora, profa. Maria Helena Krüger. Já está em estudo, por exemplo, a implantação de um curso de graduação tecnológica e outro de pós-graduação voltados para este público. Segundo a vice-reitora, o projeto vem sendo desenhado há alguns meses, ao lado do Keynes, já parceiro em cursos de pós-graduação em andamento.

Neste processo, alguns importantes nomes foram procurados para integrar o programa, como o do advogado e mestre em Direito dr. Gilberto Garcia. Ele acredita que a proposta do núcleo é pioneira, uma vez que propõe trabalho conjunto entre membros de diversas religiões. “Há exemplos de atividades que atuam setorialmente, ou seja, apenas com católicos ou com evangélicos. Aqui, a meta é promover uma integração entre esses e outros, como judaicos, espíritas, etc.”, explicou. “A UnG está de parabéns pela iniciativa”.[…]

De acordo com a profa. Maria Helena, pessoas de todas as religiões podem ingressar no Programa de Estudos Religiosos e Evangélicos. Para tanto, basta se inscrever. Com a estruturação do Núcleo, a pessoa receberá um calendário com as datas dos encontros, os quais poderão ser apenas com pessoas de determinada religião ou de todas participantes, dependendo do tema a ser abordado. A participação no projeto é gratuita, (as inscrições estão abertas, sendo que os interessados de todas as confissões de fé já podem se cadastrar diretamente no portal www.ung.br)”.