Começou a rolar na Internet, recentemente, um vídeo condenando a emenda que invalidou casamentos homossexuais na Califórnia.

O vídeo tem participações especiais de atores americanos bastante conhecidos como Jack Black (“Escola de Rock”), John C Reilly (“StepBrother”) e Neil Patrick Harris (“Tropas Estelares”) e tem causado grande polêmica por aqui, por retratar evangélicos de forma bastante caricata e negativa e usar Jack Black para personificar Jesus Cristo de forma abusada e irônica.

O vídeo usa um formato de musical e dá a impressão de ter sido gravado ao vivo em um único take. Lembra bastante uma cena cômica daqueles musicais da Broadway. Os atores, alguns homossexuais declarados parecem se divertir bastante e não se importam nem um pouco se estão ofendendo as religiões Cristãs. Para dizer a verdade nem achei a cena engraçada e como detesto musicais, para mim beirou o insuportável.

O vídeo coloca lado a lado dois grupos de atores, um caracterizado como evangélicos conservadores que tentam aprovar a proposta e outro que tenta argumentar em contrário e ridicularizar os evangélicos.

A participação de Jack Black é bem curta e não chega a debochar da pessoa de Jesus. Ele encarna o personagem uma forma cômica e bem característica de seu humor escatológico, mas não chega a ser agressivo. mas o conteúdo é pra lá de questionável. Em determinado momento quando os evangélicos afirmam que homossexualismo é condenado pela Bíblia, ele na pele de Jesus diz que a Bíblia não deve ser levada tão á sério assim, já que condena muitas coisas no Velho Testamento que hoje consideramos normais, como comer frutos do mar, por exemplo. Claramente a velha estória de usar texto fora do contexto…

Não entendo muito porque todo esse barulho por parte da comunidade homossexual norte-americana; não sei porque precisam tanto legitimar a união de casais do mesmo sexo. Com ou sem lei vão continuar fazendo o que sempre fizeram. Por outro lado também tenho certa dificuldade de entender a reação desmedida dos grupos religiosos mais conservadores aqui dos Estados Unidos. Acredito que para nós cristãos o mais importante é transformar o coração das pessoas através da pregação do Evangelho e não impor nosso valores goela a baixo da sociedade.

O vídeo termina com uma conclamação à tolerância e reafirmação da separação entre Igreja e estado. Nesse ponto não há como discordar deles. Nessa época que antecede o natal nós todos deveríamos refletir mais antes de sair por aí falando mal de quem quer que seja, ainda que tenhamos respaldo bíblico para tal. Devemos aproveitar o momento para ampliar a discussão sobre temas polêmicos como esse e repensar nossas atitudes para não sermos tachados de “sepulcros caiados”, como Jesus fez com os fariseus.

Tolerância nada tem a ver com aprovação ou cauterização. Há que se discordar e não flexibilizar a Palavra de Deus; mas sempre com amor.

Um abraço,

Leon Neto