Robin Williams é um dos comediantes americanos mais conhecidos no mundo. Vencedor de um Oscar e detentor de várias indicações, ele transpôs a barreira que separa comediantes dos atores considerados “sérios” e conseguiu ganhar o respeito de publico e critica tanto no drama quanto na comédia.

Além disso, o cara é uma figuraça! Suas entrevistas são sempre divertidíssimas e imprevisíveis. Ele não para a boca um segundo e faz piada com tudo e com todos deixando muitas vezes, os apresentadores sem saber o que fazer diante de tanta verborragia.

Recentemente, uma dessas entrevistas, no programa de David Letterman, causou uma reação enorme aqui no Brasil. Supostamente ele andou insinuando que o Rio de Janeiro só ganhou o direito de hospedar as Olimpíadas de 2016 porque levou “strippers” e cocaína para a comissão do COI.

Quando abri a internet no dia seguinte, tinha uma enxurrada de manchetes em letras garrafais sobre a tal “declaração” de Robin Willims. O prefeito do Rio Eduardo Paes, na elegância que lhe é peculiar, disse que Williams estava com “dor-de-corno” por ter perdido a indicação para o Rio; o comitê organizador das olimpíadas está até cogitando iniciar uma ação legal contra o comediante. Enfim, todos ficaram horrorizados com o tal disparate. Como sou fã de Robin Williams resolvi procurar um video da tal entrevista, pra tirar essa estória à limpo.

Na verdade, a tal “Declaração” não durou nem 30 segundos, e foi na verdade uma piada logo no começo da entrevista. Enquanto Robin entrava no palco, fez uma brincadeira com David Letterman, o comparando a Oprah Winfrey (ícone da televisão Americana), e emendou, “por sinal espero que Oprah não esteja muito triste com a perda das olimpíadas para o Rio de Janeiro; mas, também, enquanto Chicago mandou Oprah e Michelle Obama, o Rio mandou 50 dançarinas e um quilo de pó… assim não é justo!” e só. Ninguém falou mais nada sobre olimpíadas ou Rio de Janeiro depois disso.

Em primeiro lugar, quem achou que a piada de Williams foi uma “declaração”, merece um “chapéu de burro”. E quem levou à sério o que ele disse, merece ser internado em um hospício. Visivelmente o que ele fez foi uma piada, uma chacota, algo para quebrar o gelo e fazer rir. E convenhamos foi engraçado mesmo. E ninguém notou, mas a piada faz mais gozação com a Oprah e a Michelle Obama do que com o Rio!

A reação do prefeito do Rio, Eduardo Paes, foi mais que ridícula, foi “ritrícula”,como diria minha mãe. Ou ele não fala nada de inglês, ou está muitíssimo mal assessorado, ou ambos. Vir à publico para se pronunciar sobre uma bobagem como esta é absolutamente patético. Ô, seu Eduardo, o senhor não tem nada mais importante pra fazer, não? Está achando que o Rio já está pronto para as olimpíadas, que a criminalidade acabou, que não existem mais favelas? Vá fazer o seu trabalho e deixe os comediantes em paz.

Acho engraçado como nós brasileiros nos doemos com certas coisas, mas não temos o menor pudor de fazer o mesmo ou muito pior com outros povos. Vocês já imaginaram se os Estados Unidos fosse se incomodar e protestar toda vez que o pessoal do Pânico ou do Casseta fizesse uma gozação com o George Bush? Ou se o governo Português fizesse uma declaração pública toda vez que o Jô Soares contasse uma piada de português? Ou mesmo se o presidente do Paraguai criasse um episódio diplomático toda vez que o pessoal do CQC tirasse onda da qualidade dos produtos daquele país? Ora, seu Eduardo Paes, me poupe…

Robin Williams na mesma entrevista fez piadas com irlandeses, escoceses, com o ator Tom Cruise, com o sotaque de americanos da região norte, e até mesmo com a cirurgia cardíaca a que se submeteu recentemente! Ele é uma metralhadora giratória que faz graça com qualquer tema sem limites, meios-termos ou censura, como, aliás, fazem todos os bons comediantes. Respeito quem acha que ele passou dos limites, embora não concorde, mas transformar uma piada em “declaração” é algo absurdo e descabido.

Para quem não sabia, Robin Williams adora o Brasil, tem vários amigos brasileiros e até fala um pouquinho de português. Certamente ele não está nem um pouco preocupado por Chicago ter perdido a nomeação, e é capaz até que venha para o Rio em 2016, quem sabe… agora só falta aparecer algum carioca xiita propondo um boicote aos seu filme mais recente, o que seria outra idiotice.

Um abraço,

Leon