As inscrições já estão abertas para o reality show”Desafio da Música Gospel”, a ser exibido pela Rede TV entre março e junho deste ano. A proposta é muito semelhante à do consagrado “American Idol” (ou se preferir, sua versão tupiniquim “Ídolos”) e promete contar com aquele mesmo sistema de audições e eliminações em várias etapas ao longo de cinco meses.

Para quem possa pensar que a idéia é original, dê uma lida na coluna [url=http://www.folhagospel.com/htdocs/modules/soapbox/article.php?articleID=385]“American Idol gospel e outras bobagens”[/url] de 23 de Março de 2009, e vai ver que algo muito, muito semelhante já foi exibido na televisão americana. Não sei se os produtores de “Sunday Best” estão sabendo do DMG, mas talvez pudessem até ganhar uma graninha em um processo por plágio…

Os apresentadores já foram até anunciados e serão Conrado e Andréia “Sorvetão”. Conrado fez algum sucesso nos anos 80 e 90 e tem entre as muitas perolas de seu currículo ter participado de programas e filmes com os Trapalhões. Andréia Sorvetão chegou ao auge de sua breve carreira como paquita na mesma época e não fez muita coisa depois disso. Os dois se converteram e estão casados já há um bom tempo, formando uma família bem bonita e aparentemente harmoniosa. Em relação à suas possibilidades como apresentadores, o Conrado até que tem um jeitão simpático e pode funcionar bem; a Andréia, bem, não dá pra esperar grande coisa.

O site do programa anuncia com letras garrafais que serão distribuídos “5 milhões em prêmios”. O número pode até impressionar, mas vejam só: estão cobrando dos candidatos uma taxa de inscrição de 70 reais. 70 reais!!! pensem bem: Se tiverem pelo menos 250 mil inscritos, o que não deve ser assim tão difícil, eles arrecadarão 17 milhões e 500 mil reais! Se chegarem a 1 milhão de inscritos, a cifra cresce para 70 milhões! E isso só em inscrições, sem contar com os patrocínios. O programa nem começou e eles já estão fazendo uma fortuna. É um grande negócio! Aliás, me parece que não passa mesmo disso; um negócio…

Por essas e por outras, não esperem nada de evangélico desse programa. E muito menos gospel, porquê os jurados, produtores e candidatos provavelmente nem sabem direito o que é o gênero em questão. Eu, sinceramente, não tenho expectativa nenhuma dessa empreitada e acho que não vai contribuir em absolutamente nada para a musica Cristã no Brasil. Muito pelo contrário, acho que vai empurrar nossa industria musical ainda mais para o poço da ganância material e ajudar a tornar o mercado evangélico cada vez mais secularizado, a exemplo do que acontece aqui nos Estados Unidos.

O grande desafio da música gospel na verdade, é não se contaminar com os conceitos e padrões do mundo, e os que se julgam artistas cristãos de verdade não deveriam estar competindo uns com os outros por us trocados ou por um lugar ao sol na mídia brasileira; deveriam estar cooperando entre si para a proclamação do evangelho, ou investindo seu tempo em coisas mais nobres. E para quem quer realmente ser profissional, procure uma escola de música , um seminário de boa qualidade e vá principalmente estudar teologia e doutrina cristã, aspectos muito mais importantes do que técnica vocal para um músico evangélico.

Mas, se você quiser jogar fora 70 reais e engordar a conta bancaria dos produtores do programa, boa sorte.

Um abraço,

Leon Neto