As revistas apresentam um histórico da revelação da cantora e colocam como forma de protesto político.

Depois assumir a relação homossexual com a jornalista Malu Verçosa, a cantora Daniela Mercury ganhou destaque na maioria dos veículos de comunicação nacionais e internacionais e, neste sábado (6), entrou na [img align=left width=300]http://images.christianpost.com/portugues/middle/55374/daniela-mercury-capa-veja-e-epoca.jpg[/img]capa da Veja e Época. As duas das principais revistas semanais do Brasil discutem na edição a força política da revelação da cantora baiana. A repercussão da declaração de Daniela, que acontece em um momento bastante polêmico, em relação às discussões, divide opiniões sobre a aprovação das uniões homoafetivas, e mantém o assunto entre os mais discutidos no Brasil.

A revista Veja descreve o assunto fazendo um histórico e científico da questão, na qual considera o casamento gay como “questão inadiável no Brasil”. A capa da Veja mostra uma foto de abraço do casal com a manchete: “Casamento Gay – A cantora Daniela Mercury apresenta sua esposa e faz da união homossexual uma questão inadiável no Brasil”.

Já a Época coloriu a capa com arco-íris e a imagem de Daniela e Malu e diz: “Com a bandeira gay Daniela Mercury transforma em protesto político o ato de assumir seu lado homossexual”. A Época destaca a repercussão envolvendo a cantora Joelma e o presidente da Comissão de Direitos Humanos, Marco Feliciano, que por suas posições religiosas se declararam contra a união homossexual.

A revista Época faz o contexto em relação o acompanhamento da cantora sobre o tema em grande discussão no Brasil até quando decidiu se revelar junto com a esposa Malu. Elas contam à revista que vinham acompanhando a repercussão da entrevista da cantora Joelma para revista Época e sobre o pastor, deputado e presidente da CDHM, Marco Feliciano.

Segundo Malu, a intenção era comunicar o casamento que coincidiu com o momento que o Brasil vem passando. “É muito bom que algo pessoal de alguém importante como Daniela sirva para uma luta em que ela acredita e que defende. Em momentos assim, o ato individual, feito em público, torna-se político. Ao declarar seu amor para todos que quisessem saber, Daniela fez política”.

A revista destaca a coragem de Daniela, enquanto dificilmente pessoas famosas declaram ser homossexual publicamente. A revista destaca ainda o peso da grande representatividade de Feliciano, que tem os 211 mil eleitores que nele votaram. “Trata-se de uma parte da população que questiona transformações nos costumes, como o direito de duas pessoas do mesmo sexo casar, ter filhos (adotados ou biológicos) e desfrutar os mesmos benefícios financeiros mútuos que os casais heterossexuais”, diz revista Época.

Na matéria da revista Veja, a cantora baiana conta o motivo pelo qual tornou pública sua relação homossexual. Segundo Daniela, foi porque quis ter sua dignidade preservada e não suportaria manter a relação escondida. “Como todo mundo, quero ser aceita, ter liberdade, ser respeitada. Não suportaria ficar escondida. E o único jeito de não ficar escondida, com medo das fofocas, foi tratar isso como uma coisa natural – que, de fato, é” disse a Veja.

A cantora também contou sobre a aceitação da sua família. O pai ficou sabendo por telefone, quando Daniela disse que tinha se apaixonado por Malu. “Ele me perguntou: ‘Minha filha, não é um pouco cedo para você viver essa relação?’ Eu disse que não, e que queria levar Malu para ele conhecer. Claro que não foi fácil. No fim da ligação, ele disse que não conseguia entender direito, mas que me amava”.

Já a filha de 15 anos, depois que Daniela postou as fotos da revelação na internet, enviou duas mensagens, a primeira dizia: “Vocês estão fazendo a maior confusão”. E, em seguida enviou outra: “Vocês estão lindas nas fotos”. A cantora não comentou qual a posição da mãe, que, segundo alguns veículos de comunicação, ela é conservadora e radicalmente contra sua relação homoafetiva.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]