A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça julga amanhã 13 processos de religiosos vítimas de perseguição política. É a 11ª edição da Caravana da Anistia –que faz parte do projeto “Anistia Política: Educação para a Cidadania, Democracia e os Direitos Humanos”.

O julgamento vai ser realizado na sede da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), em Brasília.

De acordo com a comissão, o julgamento é considerado histórico, em decorrência do elevado número de processos, e por reunir vários parceiros, além da CNBB, o Conic (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs), a CRB (Conferência Nacional dos Religiosos do Brasil), a Igreja Metodista e a CBJP (Comissão Brasileira Justiça e Paz).

Na relação de processos que deverão ser julgados estão os nomes de Marcelo Pinto Cavalheira, arcebispo emérito da Igreja Católica na Paraíba; do ex-padre português Alípio Cristiano de Freitas; de Eliana Bellini Rolemberg, diretora-executiva da Cese (Coordenadoria Ecumênica de Serviço); de Frederick Birten Morris, conhecido como pastor Fred; de Alanir Cardoso, que foi preso e torturado com o pastor Fred, militante ligado à AP (Ação Popular).

Também estão na lista de processos, os nomes de Maria Emília Lisboa Pacheco, assessora da Fase (Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional); de Nilmário de Miranda, ex-secretário nacional de Direitos Humanos e ex-deputado federal (PT-MG); de Roberto Faria Mendes, ex-militante político, de Ruy Frasão Soares, que era militante da Juventude Universitária Católica –ele será representado por Felícia de Moraes Soares.

Os casos das religiosas Helena Soares Melo e Helder Soares também serão julgados. Ambas foram presas, na região do Araguaia (PA), na companhia do padre Peter John Mc Carthy. Outro processo previsto é de Elia Meneses Rola, ligada à política estudantil do Ceará, na década de 60.

De acordo com dados da Comissão Nacional de Anistia, a Caravana da Anistia, lançada em abril, julgou 172 processos no Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Curitiba PR), Goiânia (GO), Caxias do Sul (RS), Salvador (BA), Maceió (AL) e São Bernardo do Campo (SP).

Fonte: Folha Online