A arquidiocese de Dublin divulgará documentos secretos relacionados a abuso sexual cometidos por sacerdotes católicos contra menores, depois que o cardeal Desmond Connell retirou uma ação judicial com a qual pretendia evitar sua publicação.

Connell, que foi promovido à categoria de purpurado no ano passado pelo papa Bento XVI, havia pedido ao Alto Tribunal irlandês uma ordem que impedisse a Comissão de Investigação de Abusos Sexuais do Clero de ter acesso a quase cinco mil documentos.

Essa decisão esteve a ponto de colocá-lo contra seu sucessor na arquidiocese de Dublin, Diarmuid Martin, que já entregou à citada Comissão cerca de 60 mil documentos e defendia a abertura de todos os arquivos.

De acordo com a imprensa irlandesa, estes contêm a correspondência mantida entre Connell e os advogados da diocese entre 1988 e 2004. Aparentemente, algumas cartas abordam questões legais geradas por de denúncias de abusos sexuais de menores, enquanto outras discutem as apólices de seguros contratadas pela diocese para fazer frente a possíveis indenizações econômicas.

As acusações de supostos abusos sexuais feitas contra mais de cem sacerdotes em Dublin obrigaram o Governo irlandês a criar uma comissão de inquérito em 2006, a qual obteve então o apoio público tanto de Martin como de Connell.

No entanto, o prelado insistiu, até hoje, em que certos documentos estavam protegidos pelo direito à confidencialidade que deve existir entre advogados e seu cliente.

Fonte: EFE