Os membros da comunidade judaica que não conseguirem liberação da convocação para trabalhar nas eleições deverão tentar a dispensa por meio de mandado de segurança.

Neste ano, a data da eleição, 1º de outubro, vai coincidir com o feriado judaico do Iom Kipur (Dia do Perdão), que começa no pôr-do-sol do dia 1º de outubro e vai até o dia seguinte.

A Confederação Israelita do Brasil entrou com um pedido de revisão da convocação de membros da comunidade judaica para trabalhar nas eleições, mas o TSE determinou que cabe aos juízes eleitorais decidir, caso a caso, sobre a dispensa.

De acordo com o diretor-executivo da Confederação, Luiz Sérgio Steinecke, a orientação é para que os judeus que não conseguirem ser liberados entrem com um mandado de segurança para tentar a dispensa da convocação.

Fonte: Folha Online