A Polícia Civil concluiu nesta semana o inquérito sobre a morte do padre Francisco Figueiredo, 85, morto durante um incêndio no dia 13 de agosto em Ilicínea, no Sul de Minas.

Segundo informações da Delegacia Regional de Alfenas, a conclusão é que o incêndio foi realmente criminoso. O acusado Roberto Simões, 37, foi denunciado pelo homicídio. Ele foi visto por uma testemunha seguindo em direção à casa do padre no dia do crime com uma garrafa pet nas mãos, que estaria com um líquido parecido com gasolina.

Conforme a Polícia Civil, além da faca reconhecida por familiares de Simões, também foi encontrada na casa paroquial uma garrafa pet com resto de gasolina. O acusado, que foi ouvido nesta semana no fórum de Ilicínea, disse ao juiz que não se lembra do crime.

Segundo a família, ele sofre de problemas psiquiátricos e faz uso de medicamentos controlados. Simões, que está preso na cadeia pública de Boa Esperança, será encaminhado pela Justiça a Belo Horizonte, onde passará por exame de sanidade mental.

Fonte: O Tempo