A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), realiza, a partir de hoje, sua 46ª Assembléia Geral onde vai elaborar um documento sobre as eleições deste ano orientando os eleitores para que não vendam seus votos.

Os bispos do Brasil, que se reúnem a partir de quarta-feira em Itaici, localidade de Indaiatuba, a cerca de 110 quilômetros de São Paulo, na 46ª Assembléia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), vão elaborar um documento sobre as eleições deste ano orientado os eleitores para que não vendam seus votos, não sejam pressionados e sejam esclarecidos, uma vez que “tem muita corrupção” no país.

– O que a Igreja vai pontuar é a questão da ética nas eleições. Isso é sempre a prioridade da Igreja, de (o eleitor) ter liberdade, de não comprar votos, de não ser pressionado, ter esclarecimento quanto a isso, saber a sua responsabilidade como eleitor. E de outro lado também dizer da importância que tem no mundo esse país, que tem tanta corrupção, tantos problemas que estamos vivendo, que é saber escolher pessoas que sejam éticas e trabalhem para o bem comum – disse dom Orani João Tempesta, arcebispo de Belém (PA), porta-voz da assembléia, em entrevista.

Uma situação, segundo o arcebispo, em que os eleitores devem saber discernir é a que envolve, por exemplo, a atitude da oposição de tentar proibir o presidente Luiz Inácio Lula da Silva de viajar para lançar obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), alegando que essas solenidades acabam se transformando em comícios.

– Isso faz parte do jogo político. Creio que a gente tem de saber discernir aquilo que é a necessidade de fazer as coisas, as obras, e aquilo que se tem uma projeção mais eleitoreira – disse dom Orani.

Nesta terça, no primeiro dia de trabalho da assembléia episcopal, deverá ser discutida a análise de conjuntura, um documento elaborado pela assessoria da CNBB, com avaliações políticas, econômicas e sociais da situação do país. Na opinião do porta-voz da assembléia dos bispos, o governo Lula tem “boa vontade”, mas o povo continua desempregado e há a preocupação com a “continuidade no poder”, questão levantada nesta terça pelo vice-presidente, José Alencar.

– Há uma boa vontade, sem dúvida, do governo federal de melhorar um pouco a vida do povo. Há uma certa estatística que diz que melhorou, se bem que para quem vive no meio do povo, na periferia, não aparece a olhos vistos. A gente vê aí o povo desempregado, com necessidades. Creio que há acertos. Mas há, depois, a preocupação de continuidade no poder e, então, vale tudo – analisou.

Os 302 bispos brasileiros inscritos para a assembléia de Itaici, que prossegue até o próximo dia 11, vão ainda elaborar as diretrizes que apontarão os caminhos da Igreja no Brasil, tendo como base as orientações do Papa Bento XVI na conferência dos bispos latino-americanos em Aparecida, no ano passado. Também serão eleitos quatro bispos titulares e dois suplentes para participar do sínodo de outubro, no Vaticano.

Fonte: O Globo