O Conselho Mundial das Igrejas elegeu nesta sexta-feira, uma mulher africana para chefiar o seu comitê central. A escolhida foi Agnes Abuom, da Igreja Anglicana do Quênia.

É a primeira vez que este órgão é presidido por uma mulher ou por alguém daquele continente.

A eleição decorreu no final do encontro do CMI em Busan, na Coreia do Sul. Estes encontros ocorrem a cada sete anos e o de 2013 foi subordinado ao tema “Deus da vida, conduz-nos à justiça e à paz”.

O CMI nasceu do movimento ecumênico, em 1948. Reúne centenas de igrejas e tem por objectivo contribuir para a unidade dos cristãos. A maior confissão cristã do mundo, a Igreja Católica, não pertence ao Conselho, mas Roma envia observadores para as reuniões.

Neste encontro na Coreia do Sul, que contou entre outros, com a presença do Arcebispo de Cantuária, Justin Welby, Portugal esteve representado pela pastora Sandra Reis, da Igreja Evangélica Presbiteriana de Portugal, e pelo bispo Sifredo Teixeira, da Igreja Evangélica Metodista Portuguesa.

[b]Fonte: Renascença – Portugal[/b]