Os líderes da Convenção Batista do Sul, a maior denominação religiosa dos EUA depois da igreja Católica, divulgou nesta segunda-feira, 10, uma declaração pedindo maior ação no combate às mudanças climáticas. Para a Convenção, sua última posição diante do problema foi “muito tímida.”

O presidente da denominação conservadora, reverendo Frank Page, assinou a iniciativa, denominada ‘Southern Baptist Declaration on the Environment and Climate Change’. “Nós acreditamos que nosso engajamento sob esses problemas era tímido, falhando ao produzir uma voz unificada”, afirmaram os líderes da igreja em nota. A nova resolução tem um tom mais cético sobre o aquecimento global, acrescenta.

Em contraste, a nova declaração expressa que “nossas cautelas são responsáveis por esses problemas no enfrentamento das evidências, que podem ser vistas no mundo sem cuidado, impulsivo e doente. Nós podemos fazer melhor”. O documento também pede que todos os ministros da denominação preguem mais sobre o meio ambiente, e para todos os batistas se manterem com a mente aberta para as políticas climáticas.

Johathan Merritt, porta-voz da Convenção e seminarista do Seminário Teológico Batista, afirmou que o documento é um chamado para todos os cristãos retornarem a ordem bíblica para guardar o mundo que Deus criou. “Nós temos que estar na linha de frente, não no fim da batalha”, disse.

Fonte: Estadão