No Butão, o cristianismo ainda aguarda seu reconhecimento. Segundo a lei, os cristão do país podem proclamar sua fé publicamente, mas não deve usar a coerção ou declarar que sua religião é superior às outras afim de buscar novas conversões.

“Eu vejo as conversões com muita negatividade, porque são a pior forma de intolerância religiosa” disse Jigmi Yoser Thinley. Líderes cristãos disseram a Compass que aproveitam sua pequena liberdade em suas casas, por causa da proibição contra a construção de igrejas e ainda algumas outras restrições.

Eles não tinham certeza se proclamar sua fé era permitido. Thinley, que é o líder do partido político atual, é o mais influente chefe político no país, e afirma que vê as tentativas de conversão dos outros como algo extremamente suspeito. Mas ele declara que é permitido que os cristãos professem suas crenças – uma prática ordenada por Cristo, e que os seguidores devem concordar com o Espírito Santo e não com homens.

“Todo tipo de proselitismo que envolve incentivos materiais e econômicos é errado,” ele diz. Até agora, o Ato de Organização Religiosa do Butão de 2007 somente reconheceu o budismo e o hinduísmo como organizações legais. Como resultado, nenhuma igreja ou livraria evangélica é permitida no país. Perguntado se a organização cristã deveria se registrar pelo governo para ter sua funcionalidade reconhecida, Thinley diz, “sim, definitivamente.”

“A primeira demonstração [de busca de conversões] é você acreditar que a sua religião é a certa, e a religião do convertido é errada – o que ele acredita é errado, o que ele prática é errado, mostrar que a sua religião é superior e que você tem a responsabilidade de promover seu estilo de vida, seu modo de pensar, seu modo de adorar,” diz Thinley. “Essa é a pior forma de intolerância. E divide famílias e sociedades.”

Thinley diz que “muitas pessoas estão sendo convertidas nas camas de hospital em suas fraquezas e momentos de mais vunerabilidade. Essas pessoas estão sussurrando em seus ouvidos [dos doentes] ‘não há esperança para você. O único é se você aceitar essa religião, em particular. ’ Isso é errado.”

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]