Pela primeira vez, a Coréia do Norte recebeu mais de 90 pontos (de um total máximo de 100) dados aos países que mais violam o direito religioso para os cristãos na Classificação de países por perseguição feita anualmente pela Portas Abertas.

Este ranking mede o nível de intensidade e opressão que os cristãos enfrentam por causa de sua fé.

Vietnã e Somália deixaram a lista dos 10 países mais perseguidores, que conta com 50 nações listadas. A China, por sua vez, voltou a integrar o ranking dos 10 piores. A volta da China acontece depois de uma intensa campanha para prender líderes cristãos.

A isolada Coréia do Norte, que está no topo da lista nos últimos seis anos, alcançou pela primeira vez a pontuação mais alta para um país perseguidor, segundo o critério adotado pela Portas Abertas.

“Em nenhum outro país do mundo, os cristãos são perseguidos tão severamente quanto no império do “querido líder ” Kim Jong Il”, disse o Correspondente Internacional da Portas Abertas, Johan Companjen.

Segundo ele, em 2007, mais cristãos foram presos do que no ano anterior e ” a situação está “ficando cada vez pior”.

“O sistema stalinista da Coréia do Norte de levar adiante o comunismo está baseado na devoção total e irrestrita a uma ideologia promovida pelo recente líder Kim Il Sung e o sucessor dele e filho, Kim Jong Il”, de acordo com observadores que visitaram recentemente a nação mais isolada e perseguidora do mundo.

O cristianismo é visto como uma ameaça. As autoridades norte-coreanas alegam que o povo ama servir o “querido líder do país isolado”.

“Nós esperamos e oramos para que a perseguição, que o alcançou seu ponto mais alto até agora, realmente comece a diminuir em 2008”, disse Johan Companjen.

Ele disse, porém, que os cristãos na Coréia do Norte dizem que ficaram mais corajosos por conta das orações de diversos cristãos ao redor do mundo, principalmente da Igreja Livre. “Talvez isso digam isso porque mais crentes foram encarcerados”, enfatizou.

Sobe e desce no ranking

Dentre outras nações mencionadas na Classificação de Países por Perseguição estão nações islâmicas como a Arábia Saudita, o Irã e as Maldivas, que ocuparam o segundo, terceiro e quartos lugares, respectivamente, na lista. Butão subiu do 7º para o 5º lugar, enquanto a Somália e o Iêmen receberam menos pontos que medem a intensidade da perseguição.

O Afeganistão também chegou ao ranking dos 10 mais perseguidores (em 7º lugar) por causa do que a Portas Abertas descreveu como “vários incidentes” que envolvem os cristãos, inclusive o assassinato de dois missionários sul-coreanos durante o seqüestro de 23 cristãos no ano passado.

A situação no Laos, Uzbequistão e China também permaneceu ruim. A Eritréia, onde calcula-se que tenham sido encarcerados 2000 cristãos evangélicos, recebeu o 11º lugar na Classificação da Portas Abertas.

Em outros países onde a perseguição aos cristãos aumentou estão Afeganistão, Paquistão, Líbia, Jordânia, Belarus e os territórios palestinos.

A Portas abertas disse que incluiu os territórios palestinos “pela primeira vez” em sua classificação, por conta do assassinato em outubro do gerente de uma livraria cristã, Rami Ayyad ( leia mais), e ameaças relacionadas a outros cristãos, como um pastor que deixou Gaza e se refugiou nos Estados Unidos.

Alguns países viram uma melhoria “light”, inclusive a Birmânia, apesar da recente sanção severa e sangrenta do governo militar contra ativistas pró-democráticos. Etiópia e Colômbia também registraram pequenas “melhorias”, e pela primeira vez o Nepal não foi mencionado entre as 50 nações mais perseguidoras dos cristãos.

Dificuldade para pesquisar

O porta-voz da Portas abertas, Jeno Sebok, disse que a Classificação de países por perseguição está baseada em uma pesquisa própria e completa. “É muito difícil preparar esta lista todos os anos”, disse ele, lembrando que a organização possui escritórios em 25 países do mundo.

“Nós esperamos que a distribuição desta lista encoraje organizações de direitos humanos e autoridades a melhorarem a situação dos cristãos perseguidos”, explicou.

Mundialmente, 200 milhões cristãos sofrem perseguição por causa da fé em Cristo e outros 400 milhões enfrentam discriminações revestidas sob diversas formas, segundo estimativas da Portas Abertas.

A Portas Abertas foi fundada pelo holandês conhecido como Irmão André, que ficou famoso pelo contrabando de Bíblias e muitas façanhas em países comunistas durante a Guerra Fria. “O Contrabandista de Deus”, da Editora Betânia, é o título que de um livro que conta o sucesso dele em sua vida e ministério.

Fonte: Portas Abertas