[img align=left width=300]https://thumbor.guiame.com.br/unsafe/840×300/top/smart/media.guiame.com.br/archives/2015/08/04/2031742444-hyeon-soo-lim.jpg[/img]

A Coreia do Norte libertou nesta quarta-feira (9) um pastor canadense nascido na Coreia do Sul que havia sido condenado à prisão perpétua no país, informou a agência estatal KCNA.

Segundo a KCNA, o canadense está doente e foi libertado por razões humanitárias.

A estatal não disse qual é a doença. Rim Hyon Sum, também conhecido como Hyeon Soo Lim, trabalhava em uma das maiores igrejas do Canadá e foi condenado a uma vida de trabalho forçado em dezembro de 2015. Ele foi acusado de subversão ao “usar a religião” para conspirar contra o regime norte-coreano.

Em junho, a Coreia do Norte libertou o estudante americano Otto Warmbier pouco mais de um ano após ter sido condenado a 15 anos de trabalho forçado no país asiático. Ele estava em coma e morreu poucos dias depois de chegar aos Estados Unidos.

[b]A prisão
[/b]
Lim foi detido em janeiro de 2015 pelas autoridades norte-coreanas depois de entrar no país a partir da China. Os fatos concretos que sustentaram a acusação nunca foram esclarecidos.

Segundo a Igreja presbiteriana coreana da Luz de Toronto, onde atuava, Lim estava realizando uma missão puramente humanitária na Coreia do Norte. Estava acostumado às viagens no país, onde agia principalmente em orfanatos.

O pastor canadense de 60 anos afirmou em uma entrevista à rede de televisão CNN que [url=http://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=31751]todos os dias cavava buracos em uma prisão[/url] na qual é o único recluso.

[b]Fonte: Folhapress via Bem Paraná[/b]