Uma menina de nove anos que ficou gravemente ferida no desabamento da igreja Renascer, no Cambuci (região central de São Paulo), recebeu alta no último domingo (25) e deixou o hospital São Paulo, onde estava internada desde o dia 18, quando ocorreu o acidente.

De acordo com o hospital, que atendeu 15 vítimas do desabamento, a menina era a paciente cujo estado era considerado o mais grave. Ela sofreu traumatismo craniano e teve de ser submetida a uma cirurgia.

Segundo o centro médico, outras duas mulheres continuavam internadas até a tarde desta terça-feira em estado estável, porém, não há previsão de alta. De acordo com a Renascer, as duas pacientes ainda devem ser submetidas a cirurgias.

O desabamento do teto da sede da Renascer provocou nove mortes e deixou mais de cem pessoas feridas.

De acordo com a assessoria da Renascer, até a tarde de hoje, ao todo, 13 pessoas continuavam internadas, sendo que duas em estado grave –um homem e uma mulher, internados, respectivamente, nos hospitais Vergueiro e das Clínicas.

Demolição

Nesta terça-feira, os serviços de demolição foram retomados por volta das 8h. O trabalho começou na parede esquerda. Por volta das 11h30, os trabalhadores começaram a derrubar também a parede dos fundos. A expectativa é de que os trabalhos durem dez dias.

Pela manhã, a Defesa Civil Municipal visitou as casas vizinhas interditadas para avaliar uma possível liberação. No entanto, os imóveis permanecerão fechados para dar mais liberdade aos operários que trabalham na demolição.

O IC (Instituto de Criminalística) afirmou que hoje serão feitos testes em meio aos escombros com uma tesoura hidráulica para chegar às tesouras (estrutura triangular de sustentação das telhas). O objetivo é içar a estrutura com ajuda do equipamento e de uma retroescavadeira, para que seja remontada e auxilie nas investigações sobre o acidente.

Fonte: Folha Online