A agência de notícias International Christian Concern (ICC) soube que um empresário foi baleado oito vezes nas pernas enquanto dirigia por Lahore, depois que se recusou a pagar a “taxa de proteção” para um homem muçulmano, no Paquistão.

Suqlain Shah, um ex-policial, e outro homem, Sudia, pararam o carro de Ayub Gill quando ia comprar uma propriedade em uma cidade próxima. Babar, irmão de Ayub, estava dirigindo e dois parentes estavam no banco de trás. Suqlain sacou uma arma e tirou Babar do carro, ameaçando matá-lo. Suqlain entrou no lugar do passageiro e atirou oito vezes nas pernas de Ayub. Depois de roubar US$2.500, eles fugiram em bicicletas. Ayub está se recuperando no hospital, mas os médicos não sabem se ele poderá andar novamente.

Suqlain, que mora perto de Ayub, o ameaçou alguns dias antes, quando Ayub comprou um carro para seu irmão. Era o terceiro carro da família. Quando Suqlain viu que eles tinham três carros, ele se aproximou de Ayub e pediu dinheiro: “Agora você tem três carros, então me dê US$ 3.750. Você é um cristão rico, então é meu direito tirar de você quanto dinheiro eu quiser. Se você não fizer isso, vou te matar.”

Logo depois do incidente, os irmãos de Ayub foram para a delegacia para fazer um boletim de ocorrência, mas a polícia não tomou nenhuma atitude neste caso, e a embaixada do Paquistão nos Estados Unidos disse que não sabem nada sobre o caso e que os oficiais no Paquistão não discriminam ninguém por causa da religião.

Fonte: Portas Abertas