Asghar Fabian contou à BosNewsLife que o filho de 29 anos dele, Ceramic Anneal, um cristão católico, desapareceu no dia 27 de janeiro de Gulburg, uma área residencial e comercial de Lahore, a segunda maior cidade do Paquistão.

Segundo o pai, Ceramic foi seqüestrado por pessoas que se opõem o casamento dele com a namorada muçulmana Iffat Shaheen, de 33 anos, que também vive em Gulberg.

“Eles tiveram um encontro de amor, o que na cultura islâmica paquistanesa é muito raro e uma coisa ousada”, disse ele.

Aparentemente nenhum grupo reivindicou a autoria do seqüestro.

Ceramic havia recebido recentemente ameaças de morte de supostos muçulmanos.

“Só é dada ajuda policial aos muçulmanos? Os cristãos minoritários também são cidadãos legais do Paquistão”, disse Asghar, que reclama da omissão das autoridades.

Mesmo que o filho dele seja devolvido, é muito improvável ele possa se casar com Iffat Shaheen. “A família dela quer forçá-la a se casar com uma pessoa que ela não ama”, explicou Asghar Fabian.

Eleições

Muitos cristãos esperam que as eleições gerais marcadas para a próxima segunda-feira, dia 18 de fevereiro, signifiquem uma melhora no reconhecimento de seus direitos civis. Ore por isso.

Um atentado suicida no fim de semana matou 25 pessoas e trouxe mais preocupações de que os militantes islâmicos tentem arruinar o processo democrático.

A eleição ocorre num clima de instabilidade desde que foi adiada por causa do atentado à bomba que matou a ex-primeira ministra e então candidata Benazir Bhutto, no dia 27 de dezembro de 2007.

Fonte: Portas Abertas