Quatro cristãos na Argélia vão recorrer da decisão judicial de prisão por realizarem culto sem permissão, afirmando que o veredito poderia ter repercussões sobre todas as igrejas do país.

O tribunal de Larbaa Nath Irathen, a cerca de 27 km da capital da província de Tizi Ouzou, decretou dois meses de prisão para quatro líderes cristãos de uma pequena igreja protestante no domingo, dia 12 de dezembro.

Segundo uma emissora de televisão francesa – France 24 – em seu site, o pastor da igreja, Mahmoud Yahou, também foi acusado de hospedar um estrangeiro sem autorização oficial. Uma pena de três meses de suspensão e uma multa de 10.000 dinares argelinos ($ 130 dólares americanos) foi dada pelo tribunal.

O promotor tinha pedido prisão de um ano para cada réu. Embora a pena média dos quatro cristãos não servirá como tempo na prisão, Yahou contou que ele e os outros três homens planejam apelar da sentença, porque o resultado do seu caso poderia afetar todas as igrejas evangélicas do país, que não têm permissão oficial para operar.

“Se fizerem isso conosco, eles podem fechar todas as reuniões e as igrejas que existem na Argélia”, disse Yahou. “Eles poderiam acabar com tudo.”

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]