Grupo de cristãos que se levantaram em defesa da liberdade de crença e do patrimônio de uma igreja na Argentina, resultou em imagens de agressões físicas e verbais por parte de ativistas gays, feministas e defensores do aborto.

Um protesto organizado pelo grupo de feministas pró-aborto vandalizou o templo da igreja com pichações que acusavam os cristãos de impor seus princípios à sociedade e impedir a liberação do aborto.

Os fiéis da igreja fizeram uma corrente em torno do templo para evitar mais danos, e passaram a orar enquanto eram agredidos com palavrões, cusparadas e pichações em seus rostos e roupas.

O vídeo se tornou viral internacional e diversos veículos de imprensa em todo o mundo destacaram a intolerância das feministas, que praticavam atentados ao pudor de diversas maneiras.

As imagens mostram as manifestantes com os seios desnudos, trocando carícias e até, praticando sexo oral na rua, no meio do protesto, e sob o som de palavras de ordem contra a fé cristã e a favor do aborto.

Além da violência contra os fiéis, as manifestantes queimaram símbolos religiosos e até, imagens do papa Francisco, o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio eleito pontífice esse ano.

O vídeo contém cenas fortes de nudez, agressões físicas e verbais, carícias homossexuais e desrespeito.

Assista:

[b]Fonte: Amigo de Cristo[/b]