“Noite de paz, noite de amor, tudo dorme em derredor”. Cristãos do mundo inteiro vão cantar essa canção nos próximos dias. Milhões ansiosos pela chegada do Natal. Mas e quanto aos cristãos sírios que vivem em meio a uma terrível guerra civil? Será que eles têm a “paz celestial” da qual esta canção de Natal fala?

Não haverá decorações e quase nenhuma grande celebração. O natal será diferente para os cristãos sírios este ano. Os cristãos não querem atrair muita atenção com as decorações de Natal, temendo que a árvore de Natal possa torná-los um alvo para extremistas determinados. E, claro, a guerra civil em si não é um cenário muito bom para grandes celebrações.

“Vamos aproveitar a oportunidade de Natal para visitar famílias que têm enfrentado dor e sofrimento”, disse um pastor de Damasco. Os cristãos vão se reunir nas igrejas da capital para o culto de Natal, “mas sem decorações, nada chamativo”, acrescentou ele. “A cidade inteira está de luto pelas perdas de seu povo (família e amigos) este ano, por isso as pessoas não têm motivos para comemorar”.

A sua igreja vai se concentrar em visitar famílias (de refugiados) para levar encorajamento e conforto. A congregação da capital vai fazer “algo singelo” para as crianças, mas não haverá uma grande festa. “Vamos apenas servir uns aos outros e nos concentrar em ficar juntos para orar”.

Um colega da cidade de Aleppo, no Norte Síria, explica que as celebrações de Natal serão moderadas. “Nós não celebraremos o Natal como antes. Teremos cultos na igreja e vamos convidar os membros da igreja para vir e trazerem seus amigos. O foco será nas crianças mais do que nunca, porque elas precisam sentir alegria”.

Temos a mesma informação sobre as cidades de Latakia e Bloudan: “Não vai ser como nos anos anteriores, vamos celebrar e ter cultos, mas vai ser limitado, teremos uma programação pequena e um tempo de oração”, disse um pastor de Latakia.

Pedidos de oração

• Ore por segurança e força aos cristãos da Síria. Que Deus não só os proteja, mas lhes-fortaleça neste Natal.

• Ore também para que os cristãos tenham ânimo para cultuar durante o Natal e que Jesus os console.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]