Instigados por um monge budista, 15 pessoas invadiram um local de reunião em Rukmalgama, Sri Lanka, à uma hora de carro da cidade de Colombo, onde um grupo de cristãos estava reunido para orar e cultuar a Deus.

Aproximadamente 15 cidadãos do Sri Lanka, conduzidos por um monge budista, atacaram alguns cristãos enquanto eles estavam reunidos em um culto no dia 20 de novembro de 2011 em Rukmalgama, a uma hora de carro da cidade de Colombo.

O grupo invadiu o local de reunião por volta das 18 horas e começaram a jogar estrume de gado no pastor e nos membros da igreja. A mobília e outros objetos dos cristãos foram quebrados durante o ataque.

De acordo com a Aliança Nacional Evangélica Cristã do Sri Lanka (NCEASL), o monge budista ameaçou matar o pastor e os membros e queimar o local se eles não parassem de se encontrar para cultuar.

Uma reclamação foi entregue para a polícia de Kottawa em 20 de novembro. Os cristãos foram chamados a se apresentar para a investigação policial no dia seguinte. No entanto, quando eles chegaram, o oficial encarregado não estava disponível e eles tiveram que a voltar no dia seguinte.

Eles retornaram em 22 de novembro, mas a investigação foi adiada novamente porque os agressores não compareceram.

Em 23 de novembro, o terceiro dia desde o incidente, o pastor e os membros chegaram à delegacia. O monge budista chegou com uma grande multidão e um advogado. O superintendente assistente da polícia para a divisão de Homagama assumiu a investigação. Ele alertou a parte acusada a não recorrer à violência e os mandou para casa, enquanto o pastor foi ordenado a parar os cultos.

Os cristãos católicos e protestantes no Sri Lanka são apenas 1% da população total do país. Os monges budistas fiéis e moradores das áreas remotas se perturbam facilmente quando conversões ocorrem nas suas vilas. Num esforço de diminuir o crescimento das igrejas cristãs, eles frequentemente interrompem as atividades cristãs e atacam os cristãos.

[b]Fonte: Portas Abertas Internacional[/b]