Autoridades humanitárias de Israel chamaram a atenção dos cristãos locais para a preocupante situação de 31 cristãos refugiados sudaneses que chegaram à Terra Santa na quinta-feira passada, dia 14 de junho, e necessitam de cuidados médicos imediatos.

Os sudaneses que chegaram a Israel, sob a condição de refugiados da ONU, fugiram do genocídio em Darfur.

Dentre os cristãos estão 17 crianças e 14 adultos. Eles receberam assistência de beduínos locais e passaram a semana em tendas.

No domingo, a Embaixada Internacional Cristã de Jerusalém solicitou que as autoridades israelenses assumam a responsabilidade pelo abrigo e alimentação deles por pelo menos duas semanas, até que eles possam se acomodar entre um dos vários kibutzes israelenses.

“Nós pedimos que os cristãos de Israel tenham compaixão por esses irmãos porque os radicais islâmicos de Israel também já ofereceram para levá-los sob custódia”, disse Malcolm Hedding, diretor executivo da Embaixada Internacional Cristã de Jerusalém.

“Os custos para esse socorro chegam a US$ 20 mil (R$ 40mil), incluindo cuidados médicos”, disse Malcolm.

Segundo ele, há um crescente número de refugiados sudaneses deixando Darfur e as zonas de conflito e entrando em Israel através do Egito. O governo de Israel tem sido obrigado a aceitá-los porque eles chegam com status de refugiados da ONU.

Fonte: Portas Abertas