A banda irlandesa U2 é sabidamente originária de uma reunião de seus músicos na Igreja Metodista, e muitas de suas letras são alusivas aos princípios cristãos ou às reflexões propostas por pensadores cristãos, como C. S. Lewis, por exemplo.

Em sua trajetória, a banda passou por diversas fases, e essas variações de pensamento foram registradas em suas músicas.

Desde as declarações explícitas de fé nas músicas do começo de carreira, até à rebeldia contra a teologia da prosperidade registrada nos álbuns dos anos 1990, a trajetória da banda relata uma “busca por Deus”, segundo especialistas.

“Um bebê nasce em um presépio, em um tempo particular e em uma comunidade particular… Então, não é preciso ir à universidade ou fazer um doutorado para entender isso, basta ir à pessoa de Cristo”, declarou Bono Vox numa entrevista recente à FOFT, em Nova York.

[img align=left width=300]http://noticias.gospelmais.com.br/files/2013/12/U2-200×129.jpg[/img]A entrevista por ocasião do lançamento do 13º álbum da banda em 2014 mostra declarações contundentes do líder do U2 a respeito de sua fé em Deus. “Ou Jesus era quem dizia ser, ou realmente foi um louco. É preciso tomar uma decisão. E eu acredito que Jesus é o Filho de Deus”, afirmou Bono.

Em muitas das músicas da banda, a letra fala sobre a busca por Deus e a necessidade de viver em amor. Em “The Wanderer”, a banda fala de arrependimento e lamenta a futilidade de uma vida sem o Criador: “Eu saí à procura de experiência. Para experimentar, tocar e sentir… Enquanto o homem puder antes de se arrepender…”, dizem os versos da canção.

“Apesar disso, Bono e os demais componentes do grupo (com exceção de Clayton, que sempre se declarou agnóstico) passaram por uma crise de fé na década de 90, o que os levou aos excessos de álcool, sexo, drogas, ao divórcio de The Edge e a uma fratura no grupo carismático ao qual pertenciam, como reconheceu Bono: ‘Fui em busca do espírito e encontrei o álcool; fui em busca da alma e comprei a moda; quis encontrar Deus, mas me venderam religião’ (em alusão aos pregadores americanos)”, escreveu Enrique Chuvieco, no site Aleteia.

Em diversos artigos sobre a banda, os críticos musicais frisam o surgimento da banda no colégio Mount Temple, em Dublin, Irlanda, onde mais de 100 alunos se reuniam para orar diariamente, e questionam se as declarações atuais de Bono estariam evidenciando uma volta às origens.

[b]Fonte: Gospel+[/b]