Em campanha na Ilha do Governador na manhã deste sábado, o senador Marcelo Crivella (PRB/PR/PSDC/PRTB) afirmou que sua candidatura à prefeitura do Rio de Janeiro não tem uma proposta religiosa.

“Não podemos pedir a Deus para resolver todos os problemas, como a polícia, que sobe a favela para matar inocente”, afirmou o candidato.

Crivella alfinetou o PMDB do adversário Eduardo Paes, dizendo que não é bom que um partido só domine todas as esferas do poder no Estado. Paes é apoiado pelo governador Sérgio Cabral.

O senador fez uma comparação da situação do Rio e para isso usou o exemplo do livro Casa Grande e Senzala. “A política do Rio é representação da Casa Grande e da Senzala, de Gilberto Freyre. De um lado os povos com serviços disponíveis e do outro a senzala, que é a imensa parcela da população, vivendo abaixo da situação de pobreza”, afirmou.

O senador discursou para eleitorado no Iate Clube Jardim Guanabara e assistiu a um campeonato de Jiu Jitsu. Em seguida, ele fez caminhadas pelas favelas da região.

Fonte: O Dia