Croatas votaram neste domingo em um referendo contra o casamento gay, apoiando uma emenda constitucional que define de forma expressa o casamento como uma união entre homem e mulher.

De acordo com dados preliminares, quase 66% dos eleitores que foram às urnas disseram “não” à legalização do casamento gay.

O referendo gozou de apoio ativo da Igreja Católica Romana. O governo de centro-esquerda e o presidente Ivo Josipovic se opunham à proibição do casamento gay. No entanto, a Croácia, onde a igreja ainda tem posições fortes, continua sendo um país conservador no que diz respeito a algumas questões sociais.

A Igreja Católica, muito influente neste país de 4,2 milhões de habitantes e membro da União Europeia, apoiou a realização do referendo.

Em 2003, a Croácia concedeu aos homossexuais os mesmos direitos dos casais heterossexuais que vivem em união estável, incluindo a comunhão parcial de bens.

[b]Fonte: Voz da Rússia e DM[/b]