A informação faz parte da quinta edição do Perfil Socioeconômico de Cuiabá, estudo publicado em 2012 pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano da prefeitura da capital.

Em Cuiabá, de 2003 a 2010, 233 espaços religiosos surgiram na cidade – um a cada quinze dias.

A informação faz parte da quinta edição do Perfil Socioeconômico de Cuiabá, estudo publicado em 2012 pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano da prefeitura da capital.

Um dado que chama a atenção, e faz parte do mesmo levantamento, é o número de instituições de ensino regular que fecharam suas portas no mesmo período.

Ao todo, 30 escolas deixaram de existir nos mesmos sete anos. Na mesma linha, houve retração de 54% na quantidade de institutos de ensino superior, que eram onze em 2003 e passaram a ser apenas seis em 2010.

O Censo Demográfico de 2010, produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), aponta que Mato Grosso possui mais de 1.920.000 seguidores que declaram ser da religião católica apostólica romana.

O segmento do cristianismo é o que mais atrai fiéis, seguido pelos evangélicos, que têm mais de 745.000. Na outra ponta, o hinduísmo é o que menos registra adeptos, com apenas 23 indivíduos. Já os que se declaram ateus somam 8.027 pessoas no Estado.

A quinta edição do Perfil Socioeconômico de Cuiabá, produzida e publicada ainda na administração de Francisco Galindo Filho na prefeitura municipal, reúne os principais indicadores sociais e econômicos da Capital mato-grossense. Nele, estão expressos, além do número de espaços religiosos e instituições de ensino, indústrias, dados demográficos, taxa de natalidade, produção agrícola, estrutura gastronômica, potenciais turísticos e demais informações.

[b]Fonte: Circuito Mato Grosso[/b]