Um culto que reuniu expressões das diversas culturas e profissões de fé presentes no Caribe representou a primeira atividade pública da qual participarão os delegados do encontro convocado pelo Conselho Mundial de Igrejas (CMI) e a Conferência de Igrejas do Caribe (CCC, segundo a sigla em inglês).

A celebração ocorreu nesta noite, na Igreja Católico-Romana de Brievengat, uma das mais importantes paróquias de Curaçao.

“Deus abençoe a nossa ilha com a presença de tantas irmãs e irmãos que chegaram de diferentes pontos do mundo para discutir aqui a missão da igreja em nossos povos”, afirmou o reverendo e padre católico Simon Wilson, presidente do Conselho de Igrejas de Curaçao, em entrevista coletiva.

Além de líderes da região e membros do comitê organizador, o Secretário Geral Associado para as Relações Ecumênicas e Teológicas da CCC, Knolly Clark, também participou da coletiva.

Na ocasião, Knolly expressou satisfação pelo encontro em Curaçao, uma ilha onde a diversidade étnica e cultural tem uma forte presença. “Este encontro servirá para conciliar as diferentes visões sobre o papel da missão numa região onde se fala o inglês, o espanhol, o holandês e o francês, entre outras línguas, e onde existem visões diferentes da fé e suas expressões”, apontou.

O programa do encontro estabelece dois grupos de trabalho: um de líderes que discutirão as perspectivas teológicas considerando a situação econômica, política e social do Caribe, com uma conferência na Universidade da ilha, enquanto o comitê de EDAN, entidade encarregada no CMI pelo trabalho e orientação em torno das pessoas com algum tipo de incapacidade, iniciou hoje uma reunião de planejamento que continuará com a análise da problemática inclusiva que cerca as igrejas.

Durante o dia, os participantes trabalharam na análise dos projetos com maiores iniciativas em desenvolvimento para as igrejas do Caribe, na solução dos principais desafios e na identificação das necessidades, a fim de estabelecer estratégias de solução no trabalho ecumênico e sua projeção social.

Espera-se que a partir dos resultados da reunião de Curaçao saiam delineamentos específicos que servirão de pauta para o trabalho ecumênico no Caribe e sua inserção e papel na missão e na visão do ecumenismo mundial.

O reverendo Wilson ratificou que para Curaçao, uma ilha que passa por processo de transição para converter-se num país autônomo do Reino dos Países Baixos, o encontro deve fortalecer o papel da igreja local e sua perspectiva frente ao fenômeno de mudanças. Daí decorre a importância atribuída à reunião que os delegados terão, na sexta-feira à noite, com a primeira ministra das Antilhas Holandesas, Emily de John Elhage.

Fonte: ALC