A implantação de um curso de pós-graduação em psicologia cristã tem causado polêmica entre o Centro Universitário do DF (UDF) e o Conselho Federal de Psicologia (CFP).

O curso está em vias de aprovação pelo Conselho de Educação da faculdade, terá três meses de duração e será ministrado para graduados em psicologia.

Para o Conselho Federal, a iniciativa é uma afronta à ética profissional, caso ela deixe o campo do conhecimento e seja aplicada na prática. A categoria prometeu agir caso algum psicólogo — são 8 mil no DF — faça associação entre crença e ciência nos consultórios. O curso ainda vai ser avaliado pelo Conselho de Educação da faculdade, e o edital deve ser lançado ainda este mês.

Segundo o advogado e professor em assessoria parlamentar da UDF Paulo Fernando Melo, o Centro Universitário tem total autonomia para decidir quais cursos serão oferecidos: “O Conselho Federal não tem nenhuma ingerência e não pode impedir que alguém queira se especializar em alguma coisa”.

[b]Fonte: Correio Braziliense[/b]