O exilado líder espiritual do Tibet e Prêmio Nobel da Paz, o 14º Dalai Lama, se transformou em cidadão honorário do Canadá, apesar dos protestos diplomáticos de Pequim, informou hoje a imprensa canadense.

O próprio titular de Imigração canadense, Monte Solberg, entregou no sábado um certificado com a concessão ao Dalai Lama em um ato de homenagem a quem o ministro qualificou de “campeão da dignidade humana”, que reuniu milhares de pessoas em Vancouver (no litoral Pacífica do Canadá).

A cidadania honorária foi concedida ao líder budista do Tibet por uma resolução do Parlamento canadense de junho.

O Dalai Lama, cujo nome é Tensin Gyatso, foi o terceiro personagem estrangeiro a ser receber a cidadania desta maneira pelo Canadá, depois do também Prêmio Nobel da Paz Nelson Mandela, e do falecido diplomata sueco Raoul Wallenberg, que salvou milhares de judeus do Holocausto durante a Segunda Guerra Mundial.

Sobre o mal-estar da China, que tinha advertido a Ottawa contra um recebimento oficial para este “separatista” tibetano, o Dalai Lama brincou perante a imprensa: “parece que aonde vá acho algumas dificuldades, portanto o sinto, embora espere que não seja por erros meus”, informou hoje o jornal “The Vancouver Sun”.

O Dalai Lama chegou a Vancouver da Índia para inaugurar nessa cidade um “Centro da Paz e Ensino” que leva seu nome.

Em seu discurso de recebimento da nacionalidade canadense, o Dalai Lama, que vive no exílio desde 1959, ressaltou que não reivindica a independência para o Tibet, que foi ocupado pela China em 1950 e posteriormente anexado.

Fonte: EFE