Casos foram narrados a diretora de museu que conta história de centros de correção de menores. Até agora, 25 vítimas entre 6 e 17 anos disseram ter sofrido abusos.

A onda recente de denúncias de abusos sexuais contra menores suscitou revelações sobre o passado da antiga República Democrática Alemã (RDA). Gabriele Beyler, diretora do memorial Geschlossener Jugendwerkhof, no antigo centro de correção para menores de Torgau, no estado da Saxônia, contou nesta quinta-feira (01/04) ao jornal Der Tagesspiegel ter sido procurada por pelo menos 25 ex-internos de orfanatos e reformatórios que alegam ter sofrido abusos sexuais.

As vítimas tinham entre seis e 17 anos e foram mantidas em diferentes centros infantis e juvenis da antiga Alemanha comunista. Para Beyler, as histórias conhecidas até o momento são apenas “a ponta do iceberg”. A diretora do museu acredita que existam ainda muitos outros casos a ser revelados.

Além de Beyler, políticos da região de Torgau também foram procurados por presumíveis vítimas de abusos sexuais em isntituições escolares na antiga RDA.

Medo de denunciar

Uma das vítimas é Heidemarie Puls. Hoje com 52 anos, ela conta que foi interna de um dos centros de reabilitação juvenil mais linha-dura da antiga RDA. Aos 16 anos, teria sofrido repetidos abusos sexuais por parte dos educadores, e afirma que os maus tratos eram por vezes piores do que nos cárceres da RDA.

Puls não denunciou o caso à época por “medo, por vergonha e porque ninguém teria acreditado”. A ex-interna fez terapia durante 15 anos e decidiu contar num livro as memórias de Torgau.

A diretora Gabriele Beyler conta ter sido procurada recentemente por um homem de 56 anos que também sofreu abusos em centros de Torgau. A vítima nunca havia comentado a experiência, sequer com a própria esposa.

A antiga Alemanha Oriental, sob regime comunista, tinha 474 orfanatos para crianças e jovens. Dentre esses, 38 eram assim chamados “orfanatos especiais” e 32 reformatórios para jovens, todos dedicados a menores “mais problemáticos”.

Discussão mais ampla

Representantes do memorial em Torgau devem ser chamados para participar do grupo parlamentar que discutirá a questão dos abusos sexuais contra menores na Alemanha. O círculo de debates foi criado pela iniciativa da ministra de Justiça, Sabine Leutheusser-Schnarrenberger, e da ministra da Educação e Família, Kristina Schröder.

Representantes da Igreja Católica na Alemanha, recentemente alvo de seguidos escândalos sexuais envolvendo menores, também participam da mesa redonda. Os trabalhos devem começar em 23 de abril.

Fonte: DW World