A Polícia prendeu, ontem, no Município de Crato (a 540Km de Fortaleza) um falso padre que se apresentava nas comunidades locais como pertencente a Arquidiocese de São Paulo.

Em poder dele foram encontrados uma batina preta, um colarinho, um crucifixo e uma pequena âmbula de metal, vazia, onde são guardadas as hóstias consagradas.

O falso padre foi preso numa casa do Conjunto Vitória Nossa, no bairro do Seminário. Em seguida, a Polícia o conduziu até a sua residência, na Rua Bomílcar, no mesmo bairro, para recolher os objetos de uso pessoal do falso sacerdote.

Ainda no ‘camburão’ da Polícia Civil, o falso padre se identificou como Antônio Rogério Feijó, natural de Alagoas. Ele justificou que “não estava fazendo nada de mais”. “Ando de batina porque carrego uma frustração. Fui seminarista, mas não consegui ser padre.” Para o falso padre , isso não se constitui nenhum crime. Afirmou que vivia do aluguel de uma casa que o pai deixou para ele em Alagoas.

O Delegado Levi Leal informou que só tem condições de enquadrá-lo no Código Penal depois das investigações. Estão sendo levantadas suspeitas de que o falso sacerdote estaria aliciado menor. Há denúncias de que o falso padre estaria ainda fazendo pregações contra a Igreja Católica.

Fonte: Diário do Nordeste