O deputado estadual pastor Sargento Isidório (PSB) concedeu uma entrevista para o Bahia Notícias defendendo o deputado pastor Marco Feliciano.

Ele se apresentou como “ex-homossexual, ex-drogado e ex-bandido”, segundo a reportagem. Polêmico por suas posições e declarações, ele tem opositores dentro do próprio partido. “O pastor é humano. Claro que eu tenho medo de recaída. Eu não posso ficar junto de um homem muito tempo porque a carne é fraca”, disse ainda o parlamentar.

O pastor Isidório falou sobre as declarações polêmicas do deputado Marco Feliciano, entendidas como racistas. “Ele fez o contexto de África”, justificou.

“Natureza é com Deus, ele é soberano, ele é potente. Então o pastor Marco Feliciano falava que por causa do pecado lá naquela região onde a pele é mais negra aconteceu a maldição e aí ele fala que o próprio Deus amaldiçoa. Mas não é por causa da pele. É por causa do contexto daquela região que aconteceu”, complementou explicando.

O deputado falou ainda sobre os conflitos envolvendo o parlamentar Jean Wyllys. “Quando ele chega como um rapaz escandaloso e diz que aqui [Bíblia] é um livro de piada e que todo mundo que crê é palhaço não pode ser assim. Ainda mais em um mundo em que estamos brigando contra a intolerância religiosa. É a mesma coisa do pastor lá atrás que chutou a imagem. Se alguém tem fé, fé não se discute”, disse.

Isidório também condenou a homossexualidade e o recente caso público da cantora baiana Daniela Mercury. “Deus criou o macho e a fêmea. Está na Bíblia. Deus abençoou homem e mulher, e a Bíblia diz que o homem é para a mulher e a mulher para o homem”, criticou as relações homoafetivas. “Daniela Mercury está aí dizendo que causou, que é marida de não-sei-quem. Quero ver a esposa dela vir grávida dela”, falou sobre a situação.

Ele falou que está há 18 anos sem qualquer tipo de relação homossexual. “Todo mundo sabe que eu sou ex-homossexual. Graças a Deus, há 18 anos eu encontrei a cura via palavra de Deus. Então, eu não comi página de Bíblia. Eu apenas cri em alguém poderoso. Eu me drogava, eu era alcoólatra”, afirmou, contando seu testemunho.

“Claro que eu tenho medo de recaída. Eu não posso ficar junto de um homem muito tempo porque a carne é fraca. Daqui a pouco o que é que pode acontecer? Então, eu não vou chegar aqui e ficar brincando com fogo”, declarou.

O pastor, deputado e sargento também deu declaração polêmicas sobre uso de drogas. “Quem está morrendo de crack, para mim, é suicídio. Nem tem essa história de vitimação”, disse. “Isso aí é conversa de terapeuta, de psicólogo, de assistente social, que quer ficar afagando”, completou justificando pela desobediência aos pais.

Isidório é responsável pela Fundação Doutor Jesus, uma casa de reabilitação para dependentes químicos. Hoje são atendidas mais de 120 mulheres, que estão internadas no centro, e 700 homens.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]