O deputado estadual Jutay Meneses (PRB) criticou o Ministério da Educação que trouxe na prova do Enem questões com fundamentalismo religioso. Para o parlamentar, questões como essa, ferem o Estado Laico que é pregado no país.

[img align=left width=300]http://www.pbagora.com.br/ew3press/conteudo/20151028102308.jpg[/img] Jutay também teceu críticas ao presidente da Câmara Municipal de João Pessoa, Durval Ferreira (PP) que permite que exista na Casa Legislativa imagem de uma cruz e da padroeira da Cidade, Nossa Senhora das Neves. Para ele, falta ao vereador coragem para tirar as imagens do local.

“A prova do Enem trouxe música do candomblé, de quem eu respeito, mas não tem nada a ver colocar músicas de qualquer denominação religiosa, já que pregamos o Estado laico. Na Câmara tem a imagem de uma cruz e também uma da padroeira da cidade. O presidente não tem coragem de retirar. Eu tenho minha opinião, não critico nenhuma religião, e sim gosto de debater o que é de interesse do povo”, explicou.

O deputado disse ainda que a prova do MEC traz ideias como se fossem verdades absolutas e não são.

Estado laico significa um país ou nação com uma posição neutra no campo religioso. Também conhecido como Estado secular, o Estado laico tem como princípio a imparcialidade em assuntos religiosos, não apoiando ou discriminando nenhuma religião.

Candomblé é uma religião derivada do animismo africano onde se cultuam os orixás, voduns ou nkisis, dependendo da nação.

[b]Fonte: PB Agora[/b]