Ao anunciar através de release enviado à imprensa uma audiência pública para tratar do projeto de Lei 122/06, relatado pela senadora Fátima Cleide (PT-RO), o gabinete do deputado estadual Valter Araújo (PTB-Porto Velho) abriu uma verdadeira guerra contra o homossexualismo.

No texto, os responsáveis citam versículos bíblicos para condenar a prática e enumeram pontos acerca dos prejuízos dessa nova Lei caso seja aprovada no Congresso Nacional. Um deles, segundo o parlamentar, diz que os pais não poderão orientar seus filhos sobre o que é “certo ou errado” em relação ao homossexualismo.

Outro ponto polêmico é a certeza da proibição dos pastores de pregar contra a união do mesmo sexo nas igrejas, tema também de audiências de entidades religiosas nas cidades de Cacoal e Ji-Paraná.

Para Araújo, esse projeto é inconstitucional, pois fere os princípios democráticos de livre escolha e livre expressão sendo verbal ou comportamental. “Não podemos admitir que os evangélicos tenham sua liberdade de expressão impedida devido a um grupo de pessoas”, desabafou Valter Araújo.

Ainda durante seu discurso, Valter Araújo disse que o projeto agride a maior constituição do mundo, a bíblia e que não se pode deixar que a igreja pare de pregar a verdade nela escrita. Para ilustrar seu discurso o deputado citou o livro de Levítico 18:22 onde diz: Não te deitarás com varão, como se fosse mulher; é abominação, e disparou “não sou eu que estou dizendo é a bíblia. É direito da igreja pregar os mandamentos do livro sagrado. O que não podemos aceitar é que neguem nosso direito garantido pela constituição que é a pregação da palavra de Deus. A igreja nunca discriminou ninguém, ela só prega a luz da bíblia”.

Veja o que Valter Araújo diz caso esse projeto seja aprovado:

1. Os pais não vão poder orientar os filhos pequenos do que seja certo u errado na questão de preferência sexual. Como uma criança saberia definir para si o que é o certo e errado, na sua preferência sexual?

2. Ninguém poderá pedir a uma pessoa que venha se comportar decentemente na sua demonstração afetiva e expressão sexual, quando este for homossexual, pois isto seria considerado discriminação e se consistiria em crime. É o caso de duas lésbicas se beijando e praticando suas intimidades acintosamente na presença de uma terceira e esta ,heterossexual, pedir que elas a respeitassem, por que ela se sentir agredida .. mas, isto seria considerado crime de homofobia.

3. Nenhum pai ou nenhuma mãe poderá dizer aos filhos adolescentes sobre o que eles desejam para os seus filhos, segundo a sua orientação familiar.

4. Nenhum religioso poderá se recusar a fazer casamento de dois gays, por que isto contrariaria as suas convicções religiosas.

5. Admitir que todos os homossexuais não estão em conflito consigo mesmo e todos eles serem totalmente felizes, o que não é verdade.

6. Não poderíamos dar nenhuma esperança de recuperação e abandono deste estilo de vida, pois isto seria considerado crime, quando existem milhares de homossexuais desesperados, pedindo pela sua cura.

7. Não se poderia ouvir os homossexuais nos seus conflitos e lutas internas, pois isto seria considerado crime.

8. Não se poderia amar os homossexuais com toda sinceridade para mostrar a eles que existe uma alternativa para eles e que existe cura para eles. pois isto também seria considerado crime.

9.Respeitar os homossexuais e lésbicas é uma coisa, mas discordar deles é crime.

Fonte: rondoniagora