“O veto ao “kit anti homofobia” é uma resposta da presidente Dilma aos seus compromissos pela preservação dos valores da família”, afirmou o deputado.

A decisão da presidente Dilma Rousseff, de suspender a distribuição do kit anti-homofobia, produzido pelo Ministério da Educação, foi uma demonstração, à sociedade, de que ela cumprirá seus compromissos firmados com os movimentos religiosos, ainda durante a campanha eleitoral. A avaliação é do ex-deputado federal Victório Galli (PMDB-MT).

“O veto ao “kit anti homofobia”, que seria distribuído para escolas públicas de todo o país, também é uma resposta da presidente Dilma aos seus compromissos com a sociedade brasileira, pela preservação dos valores da família”, afirmou Victório. Durante a campanha, a candidata Dilma Roussef havia assinado um acordo com políticos ligados a movimentos religiosos em que garantia, se eleita, não autorizar nem a legalização do aborto, nem do casamento gay.

Ao assumir o mandato como primeiro-suplente, em duas oportunidades, Victório Galli ergueu sua voz da tribuna da Câmara contra a prática criminosa do aborto. Galli também tomou a iniciativa de reunir a Bancada Evangélica no Congresso Nacional e encaminhar ofício ao então presidente da Casa, e aos demais deputados para combater o projeto de lei que institui a profissionalização da prostituição. “Também fizemos o mesmo trabalho e conseguimos o arquivamento do projeto que trata da homofobia”, relembra o deputado.

O kit anti-homofobia é composto por cartilhas e vídeos que tratam de transexualidade, bisexualidade e namoro gay e lésbico. Segundo informou o ministro Gilberto Carvalho, da Secretaria Geral da Presidência, a presidente Dilma considerou o material “inadequado”, “impróprio para o seu objetivo”, e que o governo não fará “propaganda de opções sexuais”.

“Os movimentos religiosos no Congresso Nacional vão continuar vigilantes, atentos contra todo e qualquer ato que atente contra os valores da família brasileira. A decisão da presidente Dilma nos tranquiliza, mas a nossa luta continua”, afirmou Victório.

Evangélico da Igreja Assembleia de Deus, o deputado Victório Galli fez questão de divulgar na Câmara Federal o trabalho social realizado pelas igrejas Assembleia de Deus em todo o Estado de Mato Grosso. “Um trabalho grandioso, sob a liderança do líder e presidente, o pastor Sebastião Rodrigues de Souza, que ao longo de 30 anos de trabalho realiza uma grande obra”, destacou.

[b]Fonte: O Dia[/b]