O deputado holandês Geert Wilders, líder do Partido da Liberdade (PVV), anunciou nesta quarta-feira que exibirá seu filme contra o Corão somente na internet e que não apresentará a produção em entrevista coletiva, como previsto, pois não pode arcar com os custos de segurança.

Wilders disse que não pode pagar para obter as medidas de segurança necessárias para que aconteça a entrevista coletiva, que queria que fosse realizada no centro de imprensa de Haia (Nieuwspoort).

Wilders, cuja legenda tem 9 dos 150 deputados do Parlamento holandês, quer que seu filme, intitulado “Fitna” (em árabe, “Caos” ou “Confronto”), mostre o Corão como um livro que incita a violência.

Os partidos Verde (GroenLinks) e Democrata-Liberal (D66), minoria no Parlamento, afirmam que o Estado deveria arcar com os custos da entrevista coletiva, mas nem a maioria do Congresso nem o governo aprovam a idéia.

O deputado quer agora exibir seu curta-metragem, de 15 minutos, na internet, provavelmente no final deste mês e através do domínio www.fitnathemovie.com.

As televisões holandesas se recusaram a transmitir o filme de Wilders, porque o parlamentar exigia como condição indispensável que fosse exibido na íntegra e sem cortes.

O anúncio de Wilders de que transmitirá o filme colocou o governo holandês em uma encruzilhada. O Executivo precisou intensificar os contatos internacionais no mundo muçulmano para evitar reações negativas como as que ocorreram após a publicação das charges de Maomé por um jornal dinamarquês.

Fonte:Folha Online