A decisão da Cúria Romana em condenar o padre José Edwaldo Gomes, da paróquia de Casa Forte, a pedir perdão público por ter celebrado seus 50 anos de sacerdócio em cerimônia religiosa acompanhado de dois bispos da Igreja Anglicana repercutiu no Plenário da Câmara dos Deputados em Recife.

Ontem, os tucanos Pedro Eurico e Antônio Moraes e a petista Teresa Leitão acusaram o arcebispo de Olinda e Recife, dom José Cardoso Sobrinho, “de perseguidor” e o criticaram por levar o caso ao conhecimento da Congregação para a Doutrina da Fé, em Roma.

“O bispo tem espírito perseguidor e é contra o ecumenismo. Sua política remonta a Igreja da Idade Média, indo de encontro à postura moderna da própria Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB)”, disse Eurico. O pedido de perdão foi publicado na edição do jornal A Mensagem Católica, da arquidiocese, este mês.

Eurico lembrou os tempos de dom Helder Câmera e defendeu a saída do arcebispo da arquidiocese. “É a primeira vez que utilizo a tribuna da Casa para tratar desse tipo de assunto. Porém, não posso aceitar essa postura discriminatória. Se estivéssemos na época da ditadura, o bispo seria um delator”, comentou.

Teresa também foi solidária ao pároco. “Quem conhece de perto o trabalho do padre José Edwaldo está indignado”, disse, acrescentando que o ecumenismo não é uma coisa nova. A petista citou que, recentemente, dom José Cardoso esteve em uma delegacia para prestar esclarecimentos sobre denúncias que fez contra um padre. “O fato demonstra o quanto José Cardodo é perseguidor. Pela primeira vez na história, vimos um arcebispo se envolver em coisa dessa natureza”, frisou.

Moraes ressaltou a admiração por padre Edwaldo e lamentou o episódio. “O sacerdote desenvolve belíssimo trabalho, há mais de 30 anos, em Casa Forte, junto à comunidade carente e não merecia ser tratado dessa forma”, registrou, acrescentando que ele é querido não só pelos católicos, mas também por pessoas de outras religiões. “Espero que as autoridades católicas entendam que é preciso valorizar quem tem valor e o padre José Edwaldo é de muito valor”, enfatizou.

Fonte: DOE – PE