A tese defendida pelos cientistas é de que o local explorado por eles fazia parte da cidade de Ai, citada no texto bíblico.

Uma descoberta revelada recentemente por um grupo de arqueólogos comprova, segundo os estudiosos, o relato bíblico do livro de Josué. Segundo os pesquisadores da “Associates for Biblical Research” (Associados pela Pesquisa Bíblica, em uma tradução livre), o objeto, uma pequena rocha esculpida com desenhos, dá suporte para o relato dos capítulos 7 e 8 do livro bíblico.

A tese defendida pelos cientistas é de que o local explorado por eles fazia parte da cidade de Ai, citada no texto bíblico, que foi conquistada e destruída pelos israelitas durante a tomada da Terra Prometida.

Datado pelos cientistas como sendo da era histórica conhecida como Período do Bronze, cerca de 1550 a 1450 a.C., o objeto foi identificado como um escaravelho egípcio e, de acordo com Henry Smith Jr., diretor de Desenvolvimento para ABR, a data atribuída ao objeto coincide com o calendário bíblico.

– Nossa tese foi que a fortaleza [Ai] foi destruída no final do Período do Bronze I, com base na cerâmica e outras evidências arqueológicas descobertas. Com base em nossa análise, o objeto é do mesmo período de tempo, proporcionando-nos uma data de ocupação independente da cerâmica – afirmou Smith.

A Associates for Biblical Research é um ministério que atua fazendo escavações arqueológicas em locais citados pela Bíblia, em busca de evidências que deem suporte aos relatos presentes no texto sagrado do cristianismo. A descoberta em questão foi feita em um sítio arqueológico na região de Khirbet el- Maqatir (Israel), situada a nove quilômetros de Jerusalém.

À medida que continuamos nossa escavação e investigação, Deus está fornecendo evidências cada vez mais fortes para combater os ataques de críticos e fornecer razões àqueles que buscam a verdade – o pesquisador Bryant Wood, da ABR.

[b]Fonte: Gospel+[/b]