Jovens muçulmanos irados de Dutse, capital do Estado de Jigawa, saquearam e incendiaram 10 igrejas de diferentes denominações, no último dia 20.

Não houve mortes durante os ataques, embora a polícia tenha se mostrado incapaz de deter os furiosos jovens.

Cristãos e outras pessoas não pertencentes a tribos foram instruídos a buscar refúgio nos quartéis de polícia, a fim de salvar suas vidas.

Em um telefonema, o secretário da Associação Cristã da Nigéria (CAN, sigla em inglês), reverendo Joseph Hayab, disse, aflito, ao “Daily Independent” que os protestos começaram depois de uma suposta blasfêmia ao profeta Maomé, feita por uma cristã de Kaduna, identificada simplesmente como Jummai.

De acordo com a CAN, foi um jovem muçulmano quem primeiro disse blasfêmias a respeito de Jesus no calor de uma discussão com Jummai. A jovem cristã revidou, o que desencadeou o protesto e o conseqüente ataque às igrejas.

Joseph Hayab se mostrou preocupado com o fato de que um simples desentendimento entre duas pessoas pudesse levar a tais atos injustificados de destruição em nome de uma luta religiosa.

Fonte: Portas Abertas