A Assembléia do CLAI, realizada em Buenos Aires, na Argentina, dias 19 a 25 de fevereiro, abordou, em debate promovido numa sessão, o estado das igrejas dos Estados Unidos em relação à América Latina.

O diálogo foi moderado pelo Serviço Mundial das Igrejas, e tratou da realidade das igrejas nos Estados Unidos frente à situação política no país e os desafios que esta situação representa para a aproximação e o relacionamento com a América Latina. A pergunta predominante surgida durante o diálogo foi: “As igrejas estadunidenses sabem como os Estados Unidos funcionam, o que fazem no mundo, e o que as igrejas estão fazendo frente a essa realidade?”

Na ocasião, foi manifestado agradecimento às igrejas dos Estados Unidos por sua solidariedade e apoio às igrejas latino-americanas. Ao mesmo tempo, participantes pediram que, para acompanhar sinceramente as igrejas latino-americanas, “aprendam do passado” e sejam um testemunho mais forte no meio de um “império” que se volta ativamente à destruição “da vida” e “pisoteia a justiça.”

Os participantes expressaram a necessidade de que comunidades eclesiais que se envolvem por um mundo mais justo dêem exemplo aos seus próprios membros, vivendo com menos e combatendo a ética do individualismo e do consumismo.

Fonte: ALC