No último final de semana a Convenção Batista Nacional celebrou 40 anos. Foi no ano de 1967 que algumas igrejas e líderes que haviam experimentado a renovação espiritual enfrentaram a resistência dos irmãos tradicionais, que negavam o mover do Espírito Santo nos dias de hoje.

Devido ao impasse, a Convenção Batista Nacional foi organizada para fortalecer as comunidades que precisaram se associar e se organizar para sobreviver.

Tendo a Igreja Batista da Lagoinha e o Pr. José Rego do Nascimento – o primeiro pastor da igreja, como uns dos protagonistas do movimento que incendiou o país no século passado, a CBN serviu como uma espécie de identificação e bandeira aos que viveram as mesmas experiências espirituais naquela época. Anos se passaram, as diferenças foram minimizadas e hoje já é possível ver unidade entre renovados e tradicionais, como realmente um Corpo. Entretanto, o romper espiritual iniciado na década de 60 é motivo de celebração. Como parte dessa história, Pr. Márcio Valadão e o Diante do Trono participaram da XXIV Assembléia da CBN – O encontro da família Batista Nacional, que aconteceu em Taguatinga, no Distrito Federal.

“Foi emocionante ver as pessoas que participaram daquele romper histórico. Eu já nasci em uma geração livre, mas houve pessoas que pagaram um preço para que hoje pudéssemos erguer as mãos nos cultos e adorar com liberdade. Foi muito forte ver ali homens como Pr. Enéas Tonini, que até hoje, com 93 anos de idade, continua dando e colhendo frutos daquilo que foi semeado há tantos anos”, comentou Ana Paula após o culto de sexta-feira à noite. Na ocasião, ela foi convidada a se sentar à mesa diretora, ao lado do Pr. Márcio, de onde acompanhou toda a programação. Na noite seguinte, para o encerramento da conferencia que teve como tema o resgate dos valores da família, o Diante do Trono ministrou.

O grande culto foi uma festa. Com grande liberdade no Espírito, Ana Paula dançou, cantou e pulou diante do Senhor, assim como o público e os próprios integrantes do Diante do Trono. A liberdade foi tamanha que em uma ministração espontânea, a vocalista Graziela Santos, correu pelo palco e fez acrobacias, para a surpresa de quem não sabia que ela já foi tricampeã mineira de Ginástica Artística anos antes de integrar o ministério.

Durante o culto o grupo ministrou algumas das novas canções do CD Príncipe da Paz, que será lançado em breve. Entre elas Mais que vencedor, Cordeiro e Leão e Tua glória. Antes de ministrar Mais que vencedor, Ana falou ao público: “Essa música é para você que já foi afrontado pelo inimigo”. Empolgados, os participantes bradaram diversas vezes o coro que diz: “Em Jesus sou mais que vencedor”.

Antes de passar o microfone a Helena Tannure, a intercessora Ezenete Rodrigues falou diretamente aos pastores presentes: “Você tem que brotar agora”, referindo-se ao tempo que cada líder tem investido na semeadura em seus ministérios. Em seguida, com a música Lugares altos, Helena ministrou encorajamento, força e perseverança. Para Ana Paula, uma das conquistas que cabe à atual geração é a unidade: “A adoração já tem sido esse instrumento de unir as igrejas, mas há muito mais!”, conclui.

A noite da celebração da Convenção Batista Nacional foi uma grande benção. Uma real manifestação da graça de Deus expressa com grande liberdade na união de três gerações em um único lugar: os desbravadores que quebraram os paradigmas, a geração atual dos que já nasceram livres e aqueles que virão para colher ainda mais frutos na geração futura.

Fonte: Diante do Trono