A diocese de Scranton (Pensilvânia, leste dos EUA), pagará 3 milhões de dólares a um homem que teria sido abusado sexualmente por um padre pedófilo quando era adolescente.

Trata-se de uma das maiores indenizações já pagas a uma vítima nos Estados Unidos. O acordo, concluído na quarta-feira, deve pôr um fim às demandas judiciais contra a diocese, que conta com 200 paróquias no nordeste da Pensilvânia.

A Igreja católica americana, que tem 69 milhões de fiéis, não consegue se recuperar do escândalo dos padres pedófilos, que abala sua reputação e suas finanças desde 2002.

O acordo concluído em Scranton “mostra os esforços da diocese para ajudar a vítima a superar seus traumas”, frisou a diocese em comunicado divulgado em seu site.

A diocese expressou “profunda consternação” e apresentou “sinceras desculpas à vítima e a sua família”.

O nome da vítima, que tem atualmente 22 anos, não foi comunicado. O padre Albert Liberatore admitiu a culpa ante a justiça em 2005 e foi condenado a 10 anos de liberdade vigiada.

O caso remonta a 1997, quando a vítima tinha 12 anos. O padre teria abusado sexualmente dela até 2002. A vítima revelou os fatos em 2004, e o sacerdote foi imediatamente suspenso de suas funções.

Fonte: AFP