A Igreja católica no México combate a difusão do uso de drogas e seu tráfico. A diocese de La Paz en la Baja California Sur acaba de lançar o projeto “Kuni”, ambicioso programa para a acolhida e a recuperação de toxicômanos dentro de uma perspectiva humanista cristã.

A inauguração teve a presença do núncio apostólico no México, dom Christophe Pierre, e do bispo da diocese, dom Miguel Angel Alba Díaz, além de muitas autoridades civis.

A iniciativa é resultado de uma sinergia de esforços entre a Igreja católica, as autoridades e o governo; e o objetivo é promover um centro que desintoxique os drogados mediante o reconhecimento de seus valores pessoais, familiares, espirituais e profissionais.

Elogiando a iniciativa, dom Alba Diaz assinalou que “a caridade é autêntica somente quando é desinteressada e gratuita, não busca outros objetivos, não serve a estratégias mundanas nem se fantasia de proselitismo para ganhar simpatias políticas ou religiosas”.

Entretanto, seja a Igreja, seja a sociedade mexicanas estão preocupadas com o aumento do número de toxicômanos no país. José Ángel Córdova Villalobos, Secretário de Saúde, definiu este aumento ‘alarmante’, sobretudo entre os mais jovens. Nos últimos seis anos, o número de viciados em drogas passou de 307 mil em 2002 para mais de 465 mil, em 2008.

O incremento se deve, principalmente, à maior oferta de drogas e à facilidade de acesso a elas, porque os preços estão mais baixos e muitas vezes são oferecidas gratuitamente. A recente onda de violência que castiga o país é uma resposta dos esquadrões de traficantes à luta iniciada pelo Governo Federal contra a delinqüência organizada.

Fonte: Rádio Vaticano