Oferta de preces por ligação telefônica aumenta em Piracicaba (SP). Pastores divulgam números particulares e atendem 24 horas por dia.

Prática conhecida em igrejas evangélicas espalhadas pelo Brasil, o sistema de disk-oração começa a crescer em Piracicaba (SP). Na cidade, há ao menos duas igrejas que adotam o atendimento de fiéis ou de pessoas buscando auxílio religioso por telefone. A intenção das ligações, segundo relatos de pastores, varia de pedidos de conforto, preocupações cotidianas, problemas familiares e até mesmo casos clínicos, que recomendariam mais a presença de uma ambulância.

Pastor do Ministério Filadélfia, no Centro de Piracicaba, Ézio Porto contou que tem o sistema há 10 meses na igreja e tem recebido retorno positivo. “O telefone que passo é o da minha casa, então estou avaliando um jeito de oferecer o serviço da melhor maneira. Na maioria das vezes são problemas familiares, com filhos, casais e pais preocupados”, disse.

[img align=left width=300]http://s2.glbimg.com/G4IhJgXw9O21sFB7jWKzy9r1q34=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2014/04/11/20140409_151015-001.jpg[/img]O pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, Paulo Henrique Paranhos Ribeiro, contou também que em casos de grande emoção ou estresse chega a contatar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). “Às vezes a pessoa está com uma carga emocional elevada. Até mesmo nos cultos na igreja a gente tem sempre um suporte para ajudar caso alguém passe mal”, afirmou.

Ribeiro disse que o serviço é 24 horas e se reveza com a esposa para poder atender a todas as ligações, mesmo em horários que o tiram da cama. “Eu atendo ligações às 2h se for preciso. É nas horas mais improváveis que se encontra pessoas que mais precisam de oração, e é preciso estar acordado e disposto a ouvir e orar por essa pessoa”, falou.

[b]Não ‘substitui’ igreja
[/b]
Na opinião de ambos, o atendimento por telefone “vai buscar” a pessoa em situações críticas. “Na maioria das vezes, quem liga está sozinho e em desespero, precisando de ajuda. A oração por telefone serve justamente para cortar o problema naquele momento, mas não substitui a ida à igreja”, contou o pastor da Universal.

Porto também tem programas de rádio e televisão e acredita atrair muitos em função do trabalho de comunicação, mas o boca-a-boca ainda é a estratégia mais bem-sucedida. “O telefone e os meios de comunicação são muito eficientes, mas a indicação de amigos evangélicos ainda é o principal caminho para a conversão”, completou.

[b]Fonte: G1[/b]